segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

empoderamento e higiene feminina

Recentemente assisti ao filme “Wetlands”:


Tive que lidar com o meu próprio nojo em muitas cenas, isso que não me considero uma pessoa “nojentinha”. Mas a personagem Helen provoca qualquer um ao tomar banho com legumes, ao usar como perfume secreções vaginais, ao sentar no banheiro público mais sujo do mundo e esfregar o seu corpo com todo cuidado ao longo do vaso sanitário. Só de ler isso com certeza tem gente se retorcendo e fazendo cara de nojo. Tudo bem, também fiz isso ao longo de todo o filme. No entanto, as nojeiras de Helen me fizeram pensar muito sobre higiene e, especialmente, higiene feminina.

Estamos acostumados com homens nojentos em filmes. Homens podem ser sujos, soltar todos os tipos de gases, não tomar banho. Isso é usado como comédia. Não digo que não seja nojento também, mas é engraçado. Gostaria de saber quais pessoas que riem de personagens masculinos porcos que iriam rir da Helen também. Me apresso em dizer que quase ninguém. “Wetlands” é um filme muito bom, é divertido, tem uma boa trilha sonora, é uma boa produção, bons atores, é como um dirty Amélie Poulain. Mas ninguém ouviu falar dele. Costumo me basear muito na nota dos filmes no site imdb, e a nota de “Wetlands” é 5,2. Esse filme não merece só 5,2, com certeza. Mais uma vez vou me apressar e tirar minhas próprias conclusões (que parecem fazer sentido): a galera tem nojo demais de uma mulher fazendo comédia com secreções corporais, a moral não deixa dar uma nota boa, o machismo e a noção de que mulher tem que ser uma lady limpinha não permite riso nessas cenas.



Mulher não pode ser suja, não pode arrotar na mesa, se coçar, ter cabelo oleoso. Homem pode. Não que o homem sujo seja idolatrado por isso, mas ele pode, homem é assim, homem é nojento mesmo. Ser meio sujinho é até um sinal de masculinidade.

Antes de ser acusada de defender a sujeira e a falta de higiene, saibam que sou bem maníaca por banhos, perfumes, cremes, sabonetes ultra perfumados, cheirinhos gostosos e frescos de limpeza. Mas isso não me impede de pensar sobre hábitos de higiene exagerada e, claro, higiene da mulher, que às vezes é levada ao extremo. Quantos produtos de higiene feminina existem?? Quantos produtos de higiene masculina existem? 

Mulher precisa se depilar, se não é porca. Não pode usar qualquer desodorante, tem que ser aquele que deixa a axila branquinha, se não é nojenta. Mulher precisa usar absorvente até quando não está menstruada, para evitar qualquer secreção e cheiro (totalmente normais), mesmo com a maioria dos ginecologistas dizendo que isso faz mal. Mulher tem a sua disposição uma série de lencinhos umedecidos para carregar na bolsa. Aliás, a bolsa da mulher pode ser transformada em um banheiro com a quantidade de produtinhos miniaturas que podem ser levados para que se evite “sujeira” e mau cheiro ao longo do dia.

Olha só o que a intimus inventou para nós mulheres flexíveis, com a agenda cheia, super trabalhadoras multitasking (e limpinhas)! 

A menstruação ainda é um assunto delicado para muitas mulheres (e homens, claro). A gente ainda diz: “estou naqueles dias”. Naqueles dias? Por que a gente teve que inventar uma expressão pra isso? Parece que ainda é vergonhoso estar menstruada, a coisa mais natural na vida de qualquer mulher, o evento que mostra que a mulher pode gerar um filho dentro dela, algo que deveria ser um motivo de empoderamento. Talvez seja exatamente esse o problema. Foi tão bem construído pela sociedade machista e católica que a menstruação é algo nojento, pecaminoso, que deve ser camuflado, escondido, não falado, porque é algo que só a mulher tem, algo natural, bonito e cheio de força, que mostra para os homens que não existe sociedade sem a mulher. BAM!



Enquanto o homem se diverte com o seu privilégio de poder fazer xixi de pé sem nem usar papel higiênico, as mulheres precisam carregar tudo que é coisa na bolsa para evitar sentar num banheiro sujo e não conseguir se limpar depois. Poder ser “sujo” é um privilégio masculino. As mulheres e suas partes íntimas devem ter cheirinho de rosas. 

A Mari do lugar de mulher escreveu um texto que tem muito a ver com esse assunto: Bucetaria Gourmet. 1/3 dos homens têm nojo de fazer sexo oral em suas parceiras. As desculpas giram em torno de cheiro e gosto. Enquanto isso, uma outra imagem é implantada na cabeça da galera: mulher adora fazer sexo oral em homem, o sonho de toda mulher é ter esperma escorrendo pela cara. Incrivelmente até já li sobre como o esperma pode fazer bem para a pele da mulher! Homem pode ter nojinho de cheiros e gostos naturais (que nem esfolando a vagina dá pra tirar), mas mulher adora hidratar a pele com porra. Mais uma vez, as sujeiras masculinas são permitidas, são troféus de masculinidade; as femininas são nojentas e devem ser evitadas. 

À mulher é negada a masturbação, o conhecimento do corpo, o parto natural (claro, com cesárea a gente pode fazer escova no cabelo e pintar as unhas e ficar bem linda pra foto com o bebê limpinho). O homem se vangloria de suas revistas com páginas grudadas e seus computadores com pornografia pulando de todos os cantos. À mulher se oferece 100 produtos de limpeza diferentes. O homem não precisa nem limpar o xixi pingando do pênis. Tá na hora de rever o que é higiene e saúde e o que é opressão e negação de empoderamento feminino.

210 comentários:

  1. Respostas
    1. Obrigada pela leitura, Flávia!

      Abraço!

      Excluir
    2. Texto fodástico, gosto de teu jeito racional de observar tantos detalhes importantes, meus parabéns!!!!

      Excluir
    3. O texto está ótimo, concordei com ele. Mas só um detalhe, a sociedade católica não vê a mestruação como algo nojento. Não sei se foi um crítica à igreja de graça ou se é falta de informação. Pois foi desnecessário e uma calúnia posta de forma tosca.

      Excluir
    4. Anna Beatriz, a sociedade católica tem ideias extremamente conservadores sobre sexo, mulher e menstruação. Até achei trechos na Bíblia que mostram isso:

      Levítico - 12:2
      quando uma mulher der à luz um menino será impura durante sete dias, como nos dias de sua menstruação.

      Levítico - 15:19
      "Quando uma mulher tiver fluxo de sangue que sai do corpo, a impureza da sua menstruação durará sete dias, e quem nela tocar ficará impuro até à tarde.

      Levítico - 15:20
      "Tudo sobre o que ela se deitar durante a sua menstruação ficará impuro, e tudo sobre o que ela se sentar ficará impuro.

      Excluir
    5. Ananda Hilgert, achei o texto excelente! Mas não há retaliação da Igreja Católica quanto a isso. Você citou Levítico, mas este livro está no Pentateuco e a Igreja Católica se baseia sobretudo nos Evangelhos. Não há ideias extremamente conservadoras sobre sexo, mulher e menstruação, não na Igreja Católica como você diz. Talvez você possa estar confundindo as diferentes doutrinas cristãs (existem os cristãos católicos, mórmons, protestantes, etc.). Recomendo o Catecismo da Igreja Católica para maior estudo. Abraços.

      Excluir
    6. O texto de levítico, nesse caso, tratasse de cuidados com a saúde... O que era muito mais importante naquela época, levando-se em consideração a tecnologia e a medicina atual.

      Excluir
  2. Menina, que texto excelente! Concordo total com ele. Meu pai é muito sujo (sujo mesmo, ele não escova nem os dentes) e minha mãe é toda limpinha. Um dia ela deixou a calcinha usada no banheiro e meu pai já saiu gritando dizendo que aquilo era nojento e mulheres não podem ser nojentas, que é feio. Mas ele ter as roupas fedendo, ficar sem tomar banho e sem escovar os dentes é super aceitável...
    --'

    ResponderExcluir
  3. Excelente texto! Deveria ser leitura obrigatório para todos os manés que tem por aí - e que são muitos -. para que mesmo que pouco a pouco, aprendam de uma vez por todas.
    Ótimo!

    ResponderExcluir
  4. Eu sou homem, hétero... e sempre uso papel higiênico depois de fazer xixi, afinal, é nojento ficar com resto de urina no corpo. E acredite, fica, por mais que o cara "balance". Outra coisa, também faço xixi sentado, quando estou em casa, pra não espirrar e sujar tudo. Mas certamente, ao dizer isso, tanto os homens, quanto algumas mulheres, logo vão pensar: bicha. Essa coisa de homem ser sinônimo de ogro, pode ser tão cansativo e idiota, quanto mulher ter que ser sinônimo de lady. Todo sexismo é uma tirania, seja pra qual lado for.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. você é um exemplo de homem exemplar! Parabéns!!

      Excluir
    3. isso ae parceiro,não importa o quanto balance ,a ultima gota sempre será da cueca .uso lenços e gosto de permanecer limpo ,nunca se sabe quando receberas um oral surpresa

      Excluir
    4. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    5. Eu faço igual, sou culto e respeito os outros...

      Excluir
    6. uau você ta esperando parabéns por ter aprendido a limpar o pênis???? entõa aqui vai: meus parabéns por ter aprendido a limpar o pipi, menininho! agora ta na hora de aprender a escovar os dentes e a atravessar a rua com segurança. ja ja você vai ser um hominho e vai ter que fazer essas coisas sozinho sem a ajuda de niguém!

      Excluir
    7. O comentararia da Nina aqui em cima é lamentável. Sou gay, sei o que é ser vítima do sexismo, talvez o homossexual tenha que lutar tanto ou mais para se impor na sociedade paternalista, as mulher estão anos luz na frente dos LGBT na questão do empoderamento do discurso. Mas como no comentário dela podemos ver que o cara apenas por ser hetero e dar um exemplo de sua conduta particular é humilhado, como se fosse réu apenas por situação. Do mesmo modo que no movimento LGBT há enormes desvios no discurso, o da Nina é um exemplo disso. A agressividade no discurso não abre espaços apenas fecha visões estreitas, assim nome pavorosos como ''feminazis'' ganham forças e enfraquecem Lita daquelas pessoas que dentro de um movimento social vai na sua gotinha do cotidiano ttando abrir espaços mais privilegiados. Espero que repense sua abordagem Nina, a agressividade deve ser direcionado ao real inimigo, não à sua projeção do inimigo oculto na massa.

      Excluir
    8. é verdade, até os homens sofrem com o machismo, todos sofremos! (embora em diferentes graus!)

      Excluir
  5. Eu sou homem, hétero... e sempre uso papel higiênico depois de fazer xixi, afinal, é nojento ficar com resto de urina no corpo. E acredite, fica, por mais que o cara "balance". Outra coisa, também faço xixi sentado, quando estou em casa, pra não espirrar e sujar tudo. Mas certamente, ao dizer isso, tanto os homens, quanto algumas mulheres, logo vão pensar: bicha. Essa coisa de homem ser sinônimo de ogro, pode ser tão cansativo e idiota, quanto mulher ter que ser sinônimo de lady. Todo sexismo é uma tirania, seja pra qual lado for. Acrescento ao que foi dito acima que não me importo de ser identificado, porque não é o meu procedimento aqui declarado que vai definir a minha opção sexual.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claudio, proponho que leia o texto mais uma vez livre da barreira do "eu", e reflita por um instante. Acredito que o que a autora mais quis destacar e o fato de coisas que eram pra ser naturais como ter pelos, ou até mesmo sublimes como menstruar, gerar e parir um ser, são praticamente diabolizadas, tomadas como nojentas (quando não são de fato), ruins, negativas... o texto não está preso em "poxa como é injusto que homens podem e mulheres não", vai muito além disso.
      Menstruar deveria ser motivo de empoderamento, diz a autora, e nós sabemos que muitas mulheres não se sentem empoderadas menstruadas... Etc
      não se ofenda, apenas leia novamente! ;)

      Excluir
    2. Seu comentário me representa. Acredito que diferente do que a autora diz, ser sujo não é privilégio de ninguém, seja homem, mulher, cachorro ou gato. Há homens que são sujos e há mulheres tão sujas quanto. Com relação a menstruação, não encaro como algo sublime, pra mim é uma função fisiológica que deve ser encarada de forma natural, mas nem por isso vou deixar de usar absorvente e exibir minha roupa como troféu, ou muito menos pintar minha cara com sangue menstrual como já vi em algumas páginas. Pêlos são uma questão estritamente pessoal. Não há problema nenhum em te-los, porém em procedimentos como consultas e cirurgias, eles são removidos não por uma questão de preconceito ou nojinho como a autora enfatiza, mas por uma questão de maior assepsia em um processo invasivo, visando proteção do próprio indivíduo. Falando por mim, contudo, eu prefiro depilado, e acho que pra homem e mulher tal regra vale, as partes íntimas não são matagais a serem desbravados. Secreções do corpo tem cheiro natural, seja sangue, suor, urina, porém fatores do ambiente favorecem maior exacerbação desses cheiros dependendo de como a pessoa aja. No parto os bebês tem cheiro também, a mulher vai suar por estar fazendo esforço, acho que dependendo da pessoa essa pode sentir mais ou menos nojo, seja homem ou mulher sem que isso tenha nada haver com paternalismo, afinal nojo é uma sensação individual que é despertada por diferentes coisas. O que é nojento pra mim pode não ser pro outro, e pode não ter nada de machismo envolvido. Acredito que independente do que tenha sido dito que é 'aceitável" pra mulher fazer, deveriamos pensar mais sobre o que propicia melhor convivência em sociedade, porque cá entre nós, seja homem ou mulher, se estiver fedendo, a reação natural é o afastamento

      Excluir
    3. Sou contra casamento... mas com um desses eu caso! E ate o acordaria com um presente surpresa kkkk

      Excluir
    4. uau você ta esperando parabéns por ter aprendido a limpar o pênis???? entõa aqui vai: meus parabéns por ter aprendido a limpar o pipi, menininho! agora ta na hora de aprender a escovar os dentes e a atravessar a rua com segurança. ja ja você vai ser um hominho e vai ter que fazer essas coisas sozinho sem a ajuda de niguém!

      Excluir
    5. Raquel, o Claudio quis discutir sobre um dos pontos do texto, ele não é obrigado a comentar sobre todos os aspectos da leitura. Proponho que seja menos agressiva qndo quiser que alguem reflita sobre outros pontos que "você" julgue mais importante

      Excluir
    6. O comentararia da Nina aqui em cima é lamentável. Sou gay, sei o que é ser vítima do sexismo, talvez o homossexual tenha que lutar tanto ou mais para se impor na sociedade paternalista, as mulher estão anos luz na frente dos LGBT na questão do empoderamento do discurso. Mas como no comentário dela podemos ver que o cara apenas por ser hetero e dar um exemplo de sua conduta particular é humilhado, como se fosse réu apenas por situação. Do mesmo modo que no movimento LGBT há enormes desvios no discurso, o da Nina é um exemplo disso. A agressividade no discurso não abre espaços apenas fecha visões estreitas, assim nome pavorosos como ''feminazis'' ganham forças e enfraquecem Lita daquelas pessoas que dentro de um movimento social vai na sua gotinha do cotidiano ttando abrir espaços mais privilegiados. Espero que repense sua abordagem Nina, a agressividade deve ser direcionado ao real inimigo, não à sua projeção do inimigo oculto na massa.

      Excluir
    7. Estou impressionada como esse moço Claudio foi agredido por um comentário dele em que não agrediu ninguém.
      Por outro lado,embora o texto tem o foco em mostrar como é a expectativa dos comportamentos dependendo do gênero, não consigo me identificar com essa coisa de achar que sujeira fica bem em um homem como algo aceitável.
      Sinceramente, tem total agonia de ver cabelos oleosos, dentes sujos, unhas sujas. Acho isso horrível em qualquer situação, mesmo em filmes.
      Acho um horror quando tenho visitas que deixam o banheiro sujo com sangue de menstruação e não acho nada normal alguém não prestar atenção nesse tipo de coisa.
      Acho o asseio uma forma de respeitar seu próprio corpo e se respeitar.
      Também ensinei meus dois filhos a fazer xixi sentados e acho que não tem nada demais. Não tem nada de bonito em ser podraço.
      Ao invés tentar fazer a sujeira na mulher ser algo aceitável como seria para alguns homens, melhor seria valorizar os homens que se cuidam e têm consciência de seu corpo como algo a ser cuidado e respeitado.
      De qualquer maneira o texto é bom. Até porque me levou a escrever nos comentários, algo que raramente faço.

      Excluir
  6. parabéns pelo texto. super vale a reflexão. e quanto ao filme, baixando!

    ResponderExcluir
  7. cadê emoticon de aplausos? muito, muito, muito bom!!!!
    vou procurar assistir ao filme! :)

    ResponderExcluir
  8. baixando o filme em 3, 2, 1... mandou muito bem no texto ;)

    ResponderExcluir
  9. Muito bom! Pensei nisso outro dia coincidentemente!

    ResponderExcluir
  10. Esse assunto sempre me lembra o melhor livro que li sobre a diabolização da mulher, chamado "eva e os padres" de Georges Duby, (se não leu, MEGA recomendo) e é sinistro pensar que esse tipo de prática e discurso do nojo da menstruação, de não falar sobre, de deixar totalmente oculto que é através da menstruação que sabemos que podemos gerar um ser, que virá ao mundo através de nós mulheres (assunto que também ficou bem manchado), entre outras questões femininas está enraizado no mundo ocidental praticamwnte desde o século XII... ainda falamos da mesma forma, ainda diabolizamos coisas que ha muito foram sagradas e ainda deveriam ser....
    por outro lado, me anima saber que esse assunto está cada vez mais nas rodas de discussões, para descontrução e reflexão... passo a passo, um dia chegamos lá! Voltaremos a dar valor ao nosso corpo de maneira geral, todos nós!

    ResponderExcluir
  11. Ótimo texto! E eu nunca tinha mesmo ouvido falar do filme...

    O mais cruel dessa história de "higiene" pra mim é que, mesmo tendo consciência do machismo que há por trás, acho muito difícil me livrar dessa noção. Não consigo, por exemplo, não me depilar. Admiro as mulheres que não ligam para seus pêlos, mas acho que pra mim foram muitos anos de bombardeamento de uma imagem feminina que agora é muito difícil de desconstruir...

    ResponderExcluir
  12. A conduta feminina é socialmente construída. A moral judaico-cristã está cheia de restrições e exigências à mulher que, na verdade, nunca tiveram nada a ver com moral. As leis refletiam isso, mas as reivindicações vieram e as leis mudaram. No entanto os costumes persistem, pois eles sempre resistem mais. Já estão mudando. Ainda veremos um filme em que a mulher menstruada, em vez de dizer "estou naqueles dias", dirá "estou sangrando feito uma porca decapitada" e será considerada um modelo "cool", uma expressão da liberdade. Como homem do meu tempo, confesso que tenho uma irresistível (e talvez insuperável) atração pela princesinha meiga, depilada e perfumada... Não me acusem de sexismo: é um gosto involuntário. Para mim, cheiros florais e pele lisinha são deliciosos. Só espero que minhas netas me vejam como uma vítima dos costumes do meu tempo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também tenho essa idéia da pele lisinha, princesinha e os caralhos Alex, mas também me esforço pra desconstruir essa ideia, e essa é a questão. Diferente de outras gerações, a gente teve mais acesso às informações sobre as bandeiras do feminismo e essa coisa toda, então temos a obrigação de mudarmos nossa mente pra garantir q num futuro breve, os machistas sejam uma pequena minoria e com mais uns anos, seja uma idologia instinta. Vamos começar a notar também as mulheres fora do padrão de beleza e comportamento, tomar atitudes mais justas tanto com elas quanto com outros homens.

      Excluir
    2. Não acho, nesses caso, que temos que mudar nossas preferências por causa do outro. Como há homens que gostam de peles lisinhas, há também mulheres que gostam das mesmas peles, como também há homens que gostam de pelos, há também mulheres que gostam deles. Somos milhões nesse mundo, e nessa muvuca há alguém que também goste das mesmas coisas que eu.

      Excluir
  13. fico feliz de ver temas tão importantes (mas que passam batido pelo cotidiano) sendo debatidos!

    ResponderExcluir
  14. Ótimo texto! Me lembrou uma matéria da Revista TPM de uns anos atrás, em especial o texto do psicanalista Christian Dunker no final da matéria. Vale a pena dar uma olhada! http://revistatpm.uol.com.br/revista/89/reportagens/nojenta/page-4.html

    ResponderExcluir
  15. Bem pensado e apropriado para nossa sociedade moralista...

    ResponderExcluir
  16. Parabéns, mandou ver bem! Chega de gente que quer determinar o que o OUTRx deve fazer do seu próprio corpo. Adorei o texto.

    ResponderExcluir
  17. "1/3 dos homens têm nojo de fazer sexo oral em suas parceiras." hahahahahahahaha...
    Estão perdendo a melhor parte, só isso que digo!

    ResponderExcluir
  18. Muito bem escrito. Infelizmente ainda existe essa mistificação que a mulher SEMPRE tem que estar "limpinha". Eu acredito que a mulher tem que se cuidar , como o homem também, mas não deve existir aquela obrigação de estar perfeita a todo momento.

    ResponderExcluir
  19. Não existe essa de homem poder sentir nojo de fazer sexo oral na mulher. Tanto que ninguém revela se sente e se revelasse, ia ser zoado pela rapaziada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Engraçado essa estatística: 1/3 dos homens tem nojo! De onde isso foi tirado? como foi obtido? Eu posso dizer que é 100% ou 0,1%. Não se cita fonte e ninguem contesta

      Excluir
  20. Muito obrigada a todos pela leitura e apoio a um debate tão importante!

    ResponderExcluir
  21. Alguém sabe onde posso encontrar o filme para assistir/baixar?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Daniele, eu consegui baixar em um grupo privado de torrent, então não consigo colocar o link aqui... É bem difícil de achar mesmo!

      Excluir
  22. Eu Gostei. Este é só mais um fator de opressão para as mulheres. Só para ilustrar um pouco esta parte do sexo oral (heheh, o assunto é bom|) já fiquei muito surpreso de ver mulheres pouco à vontade de receberem. Parece uma marca que trazem da infância. A sensação de que seu órgão é sujo.

    ResponderExcluir
  23. Texto bastante importante, que seja mais lido e refletido......

    ResponderExcluir
  24. Essa parte sobre a mesntruaçao "é algo que só a mulher tem, algo natural, bonito e cheio de força, que mostra para os homens que não existe sociedade sem a mulher. BAM!"
    Sério, me deu até arrepio! Muito bem feito!
    Ótimo texto!

    ResponderExcluir
  25. Quanto mi-mi-mi... Vc poderia trazer pro texto argumentos mais aprofundados... Mas gostei da sensibilidade de entender que nós homens somos mesmo educados que muita higiene é coisa de boiola

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Falar mi-mi-mi é um argumento aprofundado?
      Me diga qual teu conceito de argumento aprofundado?
      Para mim, citar uma pesquisa, um filme e minha experiência própria são bastante profundos.

      Excluir
    2. O texto publicado tem que ter mais aprofundamento que um comentário sobre ele... nem sempre se recebe criticas positivas sobre algo que se publica... Desculpe as negativas

      Excluir
  26. O engraçado é que 100 % das atividades que envolvem nojeira aqui em casa quem faz sou eu e meu pai =D Trabalhos nojentos e atividades nojentas, na grande maioria das vezes são destinados aos homens. Alguns desses trabalhos são insalubres, outros tem um grande perigo de vida. MAS FODACI OS OMIS, VAMO VITIMIZAR A MUIER AQ. Próximo passo é falar dos batons opressores, partiu.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ótima pauta essa do batom, obrigada pela ideia!
      Acho que não percebeste que falei exatamente a mesma coisa que tu no texto.

      Excluir
  27. Tem que ser todo mundo limpo, por favor! Independente do genero, tomem seus banhozinhos no fim doa dia, um sabonetinho basico, e ta tudo certo. E sobre menstruaçao, diferente do que diz no texto, nao significa nada pra mim, só um incomodo. Nao me sinto mais poderosa por ser mulher e menstruar, é só uma fatalidade. Nao acho que o sangue seja nojento ou horrivel e vergonhoso, mas nao quero aquela umidade quente escorrendo pela minha pela de fato, gosto de estar seca e limpa. Parem.de endeusar a menstruaçao, é o extremo oposto de endemoniar as mulheres por isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sinto muito que vejas ser mulher e menstruar como uma fatalidade. É exatamente por existir sentimentos como esse que escrever este texto.
      Nós precisamos sim endeusar a menstruação para tirar dela o estigma de nojo, de feio, de pecado.

      Excluir
    2. Marina, te convido a conhecer os coletores menstruais (http://www.inciclo.com.br/). Com um coletor vc é poupada dessa sensação da "umidade quente escorrendo pela pele". Mulher informada é mulher bem com a vida (e com a sua menstruação). Dê uma olhada ;)

      Excluir
  28. Como se fosse todo homem, toda mulher. Além do mais, nunca vi essa de homem ser aplaudido por estar sujo ou mal cheiroso. Se nós andarmos porcos, iremos ser taxados e reconhecidos dessa maneira. Esse feminismo tá saindo do sério. Já está na hora de argumentar com mais intelgência e menos generalizações.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Renan, em nenhum texto desse blog há generalização. Te aconselho a ler mais atentamente e com a mente mais aberta para críticas e análises sociais. Para pensar sobre o papel do homem e da mulher precisamos parecer generalizadores, pois usamos palavras que identificam categorias de pessoas, grupos sociais, mas isso não significa que colocamos todo mundo no mesmo saco.

      Excluir
  29. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  30. “Péra!”
    Como é o lance do parto natural mesmo?!
    (No parêntese deixou de ser algo negado a elas e passou a ser uma escolha?)
    Bom, pra começar vou ressaltar que o simples pedido de um parto cesárea se feito pela mulher sem que haja uma indicação médica já faz com que todo mundo, inclusive o médico, torça o nariz.
    Afinal, que mulher é essa?
    É uma covarde, uma fraca, claro!
    Ou como sugere a Ananda...
    Deve estar querendo manter as unhas e o cabelo bonito.(?!)
    Pois se uma mulher não é forte o suficiente para encarar uma imprevisível quantidade de horas com dores indescritíveis, que às vezes são naturais e às vezes não (podem ter que ser induzidas por medicamentos) e que podem ou não serem bem sucedidas, ela não é tão mulher quanto deveria.
    Quando uma mulher escolhe fazer uma cesárea possivelmente não é por querer estar com unha feita e cabelo escovado, mesmo porque, o parto normal não impede nenhum dos dois, existem motivos maiores que uma mãe – que é quem vivencia diariamente as expectativas de trazer ao mundo através de si própria uma outra vida – considera para decidir como será seu parto.
    Quando não indicado pelo médico por motivos clínicos que podem oferecer riscos a mãe e ao bebe, ainda existem fatores emocionais que podem impedir a mulher de enfrentar naturalmente o “bonito” e dolorido parto normal.
    E se pudermos fazer um esforço para considerar que uma mulher grávida não deixa de ser um individuo por carregar outro, dar alguma importância a seu desejo talvez não pareça um absurdo.
    Uma mãe passa em média nove meses vivendo para entender e se encontrar no seu novo papel, que é o de mãe e que apesar de não anular seus outros já existentes papéis, faz com que ela reflita bem sobre como gostaria e acha que conseguiria fazer tudo da melhor maneira possível para ela e para o seu filho.
    Não decidimos isso um pouco antes do parto, como quem escolhe se vai pagar com crédito ou débito a conta do restaurante.
    Meu parto não foi “natural”...
    Eu escolhi não me submeter a um medicamento que faria meu útero se contrair e doer o suficiente para que em desespero eu me “esforçasse” para parir, pois ele não obedeceu a natureza e não doeu como deveria.
    Eu escolhi que não me submeteria às – já citadas – imprevisíveis horas de dor, por me ver – devido a problemas pessoais – sem condições emocionais para isto.
    Eu escolhi!
    E tive a sorte de ter um médico, que apesar de ser contra a cesárea, minutos antes do meu parto me disse:
    “ Mãe, não precisa chorar, eu como médico sei que podemos fazer um parto normal, mas se você está sofrendo por estar com medo e não se sentir capaz, faremos como você se sentir mais segura e você vai estar bem para receber seu filho”
    E assim foi.
    Menos de uma hora depois meu filho estava nos meus braços sendo amamentado.
    Não fiquei bonita e limpinha nesse momento, estava no meio de uma cirurgia quando amamentei meu filho pela primeira vez.
    Estava com toca cirúrgica, chorei o parto todo e vomitei algumas vezes também.
    Não poderia posar para foto bonita- que foi citado como um dos motivos pelo qual mulheres optam pela cesárea – pois quando nos submetemos a um parto cesárea, ficamos sem poder levantar a cabeça e ainda sem sentir os movimentos das pernas por algumas horas após o parto.
    E apesar de na maioria dos casos ter alguém para fazer um registro fotográfico dos primeiros momentos, acreditem, existe algo acontecendo entre mãe e filho que faz o cabelo estar bonito não ser o mais importante para ela, pelo menos não mais do que para as mães que tiveram parto normal.
    Claro que meu caso é o meu caso e não digo que os partos devam ser assim, não sou defensora do parto cesárea, defendo o respeito à mulher e a individualidade de cada uma e sou extremamente grata por ter tido direito de escolha e por ter sido respeitada nesse momento

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sinto muito se te sentiste ofendida a ponto de relatar a tua história de parto. Fico muito feliz que conseguiste ter o parto que tu escolheste, mas infelizmente essa não é a realidade da maioria das mulheres. Pelo que eu tenho estudado sobre o assunto (já assististe ao filme "O renascimento do parto"?), a porcentagem de cesáreas feitas no Brasil é extremamente alta e isso é por culpa dos médicos que não querem se sujeitar a imprevisibilidade de um parto normal, não querem passar horas acompanhando um trabalho de parto, e também tem muito a ver com o assunto do texto: as pessoas têm medo da sujeira, do sangue, da placenta. A frase que eu disse "fazer as unhas e escova no cabelo" foi retirada de relatos reais. Eu não disse de forma alguma que todas as mulheres deveriam fazer parto normal, essa deve ser uma escolha da mulher. O que tu dizes sobre a mulher que escolhe cesárea ser vista como fraca é algo que eu nunca vi, esse discurso não me parece dominante assim no meio médico e a maioria dos médicos é a favor de cesárea, se não fossem a taxa de cesárea na rede privada não seria por volta dos 90%. Defendo a mesma coisa que tu, a individualidade e o respeito à mulher e suas escolhas, mas escrevi aqui com o conhecimento de que isso é raramente feito.

      Excluir
    2. Ananda...
      Essa não é a realidade da maioria das mulheres justamente por não termos o direito de fazer do nosso corpo o que queremos!
      No SUS a mulher não pode optar por parto cesárea, ela só o terá se for por indicação médica.
      E milhares de mulheres são submetidas ao procedimento parto “normal” mesmo não querendo ou não se sentindo capazes.
      E se uma mulher não quiser se sujeitar a imprevisibilidade de horas em um parto “normal”?
      Quanto aos relatos reais de mulheres quererem ter unha e cabelo arrumado...
      1- É possível em partos “normais”.
      Continuo acreditando que mesmo relatando essa falsa vantagem, em nove meses elas tiveram maiores motivadores para sua escolha, mesmo que não sejam capazes de expressar a importância dos mesmos.
      2- Ainda é seu direito escolher como vai parir!
      Ainda assim a frase em parêntese no seu texto está fora de contexto, pois você está se referindo a direitos negados às mulheres quando nesse momento você muda para uma perspectiva onde a decisão (que você condena) é dela.
      Ananda você diz desconhecer que mulheres que escolhem cesárea são hostilizadas, quando é exatamente o que você fez.
      Quantas vezes nós não somos indiretamente julgadas como superficiais (como você fez) por ter feito tal escolha, sem termos chance (por real falta de interesse dos mesmos pela individualidade e realidade de cada uma – esses podem balançar conceitos arduamente construídos–.) de expor nossa verdadeira história e motivação?
      “a maioria dos médicos” e “se não fossem” tem tom especulativo.
      Seguindo essa linha...
      E se 90% das mulheres decidiram ter seus filhos com parto cesárea?
      Aliás!
      E se 100% decidirem por isso?
      E estamos falando de atendimento privado, pois como já citei, as mulheres que dependem do SUS, já não tem mesmo o direito de escolher.
      E considerando conduta médica oportunista no atendimento privado...
      Segue o sistema privado lucrando à custa do nosso corpo e segue o sistema público economizando a custa do nosso corpo!
      E enquanto isso... Seguimos tentando nos reconhecer como indivíduos e driblando os efeitos de discussões impessoais e cheias de conceitos que nos rotulam e ridicularizam, feitas por pessoas que “entendem” de mulher.
      E o respeito a nossa individualidade vai continuar sendo “raramente feito” enquanto estiverem sendo disseminadas ideias taxativas que diminuem a mulher por suas escolhas.
      P.S. Deve-se ter cuidado para não dar os braços ao próprio inimigo!
      Não devemos alimentar ideias contraditórias que só nos encurralam.

      Excluir
    3. Primeiro: o meu texto não era sobre parto, tem muita coisa pra falar sobre esse assunto.
      Nunca discordei de ti sobre o parto ser uma escolha da mulher. Mas pode ter certeza que os 90% não escolheram cesárea porque quiseram, mas foram influenciadas por má conduta médica. Na rede pública a média de cesáreas também é bastante alta, é em torno de 40% quando o indicado pela Organização Mundial da Saúde é 15%. Essa "escolha" de muitas mulheres pela cesárea é bastante preocupante. As mulheres "escolhem" porque passam a vida ouvindo que parto normal dói demais, é estressante, cansativo, perigoso e, como eu quis trazer no texto, nojento. Sendo que a cesárea tem muito mais risco à saúde da mãe e do bebê. A manipulação médica é algo perigoso tanto na rede privada quanto pública.
      Eu não acho que todas as mulheres que escolhem cesárea tomam essa decisão por quererem ficar limpinhas e arrumadas, mas isso é um discurso existente, sim. Tu já viu as novas salas de espera em maternidades? São sala finas, super decoradas, que remetem a um refinamento, limpeza e elegância que está sendo exigido também das mulheres na hora do parto. Existe o medo de parecer muito bicho, muito índio no parto normal. Não estou generalizando e dizendo que todos são assim, mas esse é um pensamento existente e importante de ser discutido.
      Te indico o documentário "Renascimento do Parto" para pensar mais sobre as implicações de escolher cesárea ou parto normal, sobre os motivos dessa taxa de cesárea ser tão alta, sobre o elitismo e a má conduta médica.

      Excluir
    4. Desculpa!
      Entendo que essa não é a pauta, mas o fato é que a frase – preconceituosa e machista – está lá!
      ...
      Você diz que (referente à cesárea) “As mulheres "escolhem" porque passam a vida ouvindo que parto normal dói demais, é estressante, cansativo, perigoso e nojento”
      E isso não é verdade?
      Não dói Ananda? Não é estressante?
      Agora fiquei curiosa, que parto você escolheu?
      Outra coisa...
      Influenciadas?
      Impressionante essa insistência em subestimar as mulheres!
      Como se fossemos cidadãs intelectualmente inferiores e incapazes de decidirmos e firmamos nossas opiniões e escolhas.
      NÃO SOMOS BURRAS E PENSAMOS POR NÓS MESMAS!
      E só mais um favor!
      Critique e combata o elitismo e também a má conduta médica (em qualquer vertente), tem meu apoio!
      Só não ridicularize as mulheres por suas escolhas e muito menos afirme que as fizeram por não serem capazes de pensar por si.
      Hasta!

      Excluir
    5. Empoderamento é saber do seu poder sem seguir modismos... Bonita mulher você Guin.. Não tenho filhos, mas gosto da ideia de poder decidir o que quero pro meu corpo. Me preocupa muito mais a situação das mulheres no SUS, que são a maioria, e não tem essa opção, que meia duzia de clinicas com chão de porcelanato branco... Fora da realidade... Um beijo .. Toda mulher é sábia.

      Excluir
    6. concordo contigo, acho que cada um é unico, e como ser unico escolhe o que é melhor pra si, o que caracteriza sua personalidade e habitos, meu caso foi contrario, ia ser cesarea, foi normal, pq a medica se atrasou demais, mas tudo bem, doeu sim, e apesar de toda essa apologia ao parto natural nao é facil passar a bola de basquete na caçapa de bilhar, eu sei, mas tem suas vantagens inegaveis, o pós parto é otimo, mas sem perder o foco, todos temos nossas mazelas né? Eu gosto de estar limpinha e cheirosa, ninguem me obrigou, nem foi nenhuma propaganda que me convenceu, afinal passa propaganda de academia e nem por isso to malhando, kkk. Mas é assim mesmo, eu menstruo, em compensaçao é uma vez por mes, e meu marido que nasce um porco espinho no rosto a cada tres dias? é muito chato nao? o legal é que tudo tem suas vantagens e desvantagens, por isso a vida é legal, beijos a todos, a proposito to na conta do meu dignissimo esposo.

      Excluir
    7. É isso aí! Dane-se a criança se o parto normal é melhor pra ela! O importante é a mulher decidir o que lhe convém! E viva o feminismo!

      Excluir
    8. Respondo ainda neste comentário desviado do assunto, porque fui acusada de machista e de dizer que as mulheres são burras...
      Guin, eu não acho que uma mulher seja burra quando disse que ela é influenciada pelo médico a tomar uma decisão. Quando a mulher está grávida tudo que importa é o bem-estar do seu bebê. Essa ansiedade de ser mãe, de querer proteger, vai ficando cada vez maior. E sabe o que médicos fazem? Inventam desculpas para fazer cesárea. Dizem: seu bebê está com o cordal umbilical enrolado no pescoço; seu bebê se desenvolveu pouco ou qualquer outra coisa que nem é tão prejudicial ou perigo real. Mas quem é a mulher pra ir contra o conhecimento do médico? Por isso, a mãe preocupada com o seu filho faz a cesárea como o médico quer, pensando que foi sua escolha. Ela não foi burra, ela seguiu a razão, o que parecia melhor, mas infelizmente o médico distorceu as coisas. Isso não é burrice, isso é ser vítima de má conduta médica.

      Josiviana, a situação de partos está bastante ruim tanto na rede privada quanto na pública. Claro que no SUS é pior, mas lá também estão se fazendo cesáreas desnecessárias pelo bem da organização da agenda médica. Muita coisa tem que mudar na Brasil na forma que vemos o parto.

      O parto normal é demonizado. Assistam "O renascimento do parto", por favor!

      Excluir
    9. O texto da Anada Hilgert é muito ruim. Exagerado, cheio de generalizações totalmente desnecessárias. Talvez ela devesse ler os clássicos para aprender como é que se escreve. A melhor aqui, sem dúvida, é a Guin Magielo. A mais ponderada e a mais equilibrada, sem machismos e clichês.

      Excluir
    10. Olha, Paulo, não precisa de preocupar que leio muito. Afinal, sou professora de português e literatura, se quiser podemos conversar sobre clássicos. ;-)

      Acusar um texto feminista de fazer generalizações é bastante comum e já está ficando entendiante. Acho que falta um entendimento por parte de quem diz isso: quando fazemos essas tais generalizações é porque estamos falando de discurso, de conceito, de estereótipo, e não sobre cada indivíduo do planeta.

      Excluir
    11. E quanto aos machismos e aos clichês do seu texto? Sobre isso, vc não escreveu nada... Talvez concorde comigo.

      Excluir
    12. olha, não faço a menor ideia onde que possa ter machismos no meu texto. Isso é impossível! Se tu tá te referindo a história do parto, sugiro que leia toda a discussão que teve aqui sobre isso que lá eu disse tudo.

      Clichês? Bah, vou considerar quase um elogio, porque até agora fui só chamada de exagerada, rebelde...

      Excluir
  31. Texto ruim. Acho uma fala tendenciosa e perigosa. A indústria da higiene feminina - e masculina também - é uma conquista humana para além de gênero. O homem descrito por ela é pura projeção - será que ela convive com tipos nojentos que não tomam banho e não se limpam e arrotam e soltam gases fora do espaço íntimo ? - e não serve de desculpa para nenhum dos argumentos implícitos dela. A questão da menstruação é atávica e é bem definida no judaísmo (bem antes do catolicismo) assim como o uso de perfumes aparece para os homens em Davi e em até Jesus. Claro que a anatomia feminina sugere cuidados específicos e as invenções da cultura que estimulam a aproximação íntima também deve ser valorizada. A descrição chula que faz do homem só pode ser comparada à mais chula ainda descrição do complexo feminista que julga tudo como favor a algum interesse machista. A mulher tem o privilégio do cuidado com a beleza e ser sofisticadamente perfumada é um sinal de sabedoria, respeito ao próximo e que reforça a admiração dos outros, outro sentimento atávico e necessário para qualquer ser humano que deseja felicidade é Paz. Mas ela não quer isso, quer "empoderamento" e confrontação e romper com adaptações naturais - ver Darwin - em favor de todos e que , de fato e infelizmente, distorcidamente foram mal manipuladas por alguns homens nojentos. Mas hoje não faz o menor sentido questionar nesses termos. Melhor para todos banho, ótimos perfumes, boa apresentação e reflexão e temperança na fala.

    ResponderExcluir
  32. A primeira coisa que o texto tenta desconstruir é a própria ideia de higiene. A higiene não foi questionada, mas tudo aquilo que vai para além do "ser limpo e se preocupar com a saúde", algo muito mais discursivo e imagético do que a própria ação de se limpar e ficar cheiroso.
    Eu não disse em nenhum momento que os homens são sujos e não tomam banho, arrotam. Eu disse que é mais aceitável que um homem arrote do que uma mulher.
    Este complexo feminista que citaste é coisa de gente cega pelo machismo que acha que feministas inventam situações machistas onde não tem. Quando uma mulher se sente oprimida por algo feito por um homem, tu deve escutar e tentar entender e não dizer que isso é um complexo feminista. Essa é uma dor que não é tua, que tu não entende.
    O cuidado com a beleza, com o perfume não é um privilégio, é uma imposição. Não é uma escolha.
    A mulher deve sim querer empoderamento, pois o poder de si, a vontade de escolha, a liberdade, tudo isso lhe foi sempre negado. O machismo e a opressão feminino não é uma adaptação natural, é uma construção cultural que mata e deve acabar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que me chama a atenção é que vc está lutando por algo tão insignificante quanto toda a luta feminista! O direito* de não tomar banho? O direito de não se depilar? O direito de não se perfumar? Você sabia q nunca ninguém foi preso ou decapitado por andar sujo? Se vc se importa tanto com o que vão achar se vc andar por ai fedendo, não ande. Agora pedir q outras pessoas aceitem é impensável. Serve tanto para homens quanto para mulheres.

      Excluir
    2. deixa eu ver se entendi: TODA a luta feminista é insignificante?

      Bom, se tu pensa isso eu não tenho como defender nada do que tenho escrito aqui mesmo. Na luta feminista é válido desde defender o aborto, a igualdade salarial, a justiça em casos de estupro, até defender a liberdade de poder usar a roupa que quiser, ter o corpo que quiser e o cheiro que quiser também! Qualquer defesa da liberdade da mulher é algo importante dentro do feminismo, não existem regras sobre o que é mais válido na luta e o que não é, até porque uma coisa está totalmente dentro da outra. O direito sobre o corpo que envolve temáticas grandes como estupro e aborto, também envolve depilação e uso exagerado de cosméticos.

      E é óbvio que ninguém vai ser preso por andar fedendo, isso não faz o menor sentido de ser dito aqui. O conceito de poder ou não fazer alguma coisa não tem relação com lei, com legislação, mas com cultura, sociedade, discurso.

      Excluir
  33. O pensamento de filósofos franceses do séc XX como Derrida e a desconstrução ao meu ver não cabem nos universais kantianos de justiça, em alguns definidores morais e, especialmente estratégias adaptativas das espécies animais, ainda que todas essas evoluam. Sua leitura inspira muito mais uma aproximação com os psicanalistas o que acho que você deveria fazer com urgência.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. José, o conceito de desconstrução do Derrida pra mim está em muita coisa e adoro misturar teorias de diferentes tempos e campos do saber, acho produtivo e criativo. Pode deixar que já leio bastante psicanálise.

      Excluir
  34. Wooooow. Acabei de ler nesse texto os meus pensamentos. Obrigada por isso. Beijos

    ResponderExcluir
  35. Nenhuma mulher é obrigada a se depilar, a ser cheirosa e a não arrotar à mesa. Mas nenhum homem deve também ser obrigado a se sentir atraído por mulheres que agem assim, veja bem não é pecado nenhum alguém (homem ou mulher) não sentir atração pelo que não lhe desperta atração. Homens e mulheres são diferentes, é normal então haver diferenças no que se considera "adequado" para um e para outro. Somos biologicamente diferentes. As coisas são como são e não porque alguém algum dia disse que tem que ser assim. Vivamos a liberdade. Se alguém não quer aceitar determinados padrões de "bons modos", higiene e asseio por achar isso uma imposição absurda e machista tudo bem, mas não obrigue os outros a considerar isso atraente. E mais uma vez repito, não é pecado nenhum não se sentir atraído ou não sentir desejo por mulheres que agem assim. O que cada ser humano deve a outro ser humano é respeito a sua liberdade. Não se sentir atraído sexualmente por alguém por qualquer motivo que seja não é pecado. Hoje em dia a igreja pouco interfere na vida das pessoas porque elas simplesmente fazem o que bem entendem. O fenômeno atual é criar novos "pecados" e não é a igreja que vem fazendo isso. Que ninguém seja condenado pela "nova inquisição" por não sentir desejo por mulheres que não se depilem. Elas tem o direto de não se depilar? Claro que sim, quem é que vai impedir esse direito sagrado?

    ResponderExcluir
  36. Sim, as mulheres são obrigadas a se depilar, a serem cheirosas, a não arrotar na mesa.

    Em que momento do texto tu achou que eu disse que os homens devem se sentir atraídos por mulheres sujas? Esse texto não é sobre os homens, não é sobre eles se sentirem ou não atraídos pelas mulheres. Esse texto é sobre mulheres tentarem se livrar de imposições que não foram escolhidas por elas.

    Não é normal ter diferença no que se considera adequado para homem e para mulher. Essa é uma imposição machista e não liberdade.

    Ninguém está sendo obrigado a gostar de alguém que não tem hábitos de higiene. Realmente não disse isso e não acho isso.

    O problema é que tu está achando que as pessoas têm a maior liberdade de fazer o que querem. Bem que seria legal isso mesmo, mas não é assim. Tanto que basta um texto querendo desconstruir ideias de higiene para alguém como tu achar que estou impondo que as mulheres sejam sujas e peludas e que os homens achem isso lindo.

    ResponderExcluir
  37. Excelente reflexão sobre um assunto que há tempos deveria ser discutido!

    ResponderExcluir
  38. Este filme é adaptação do livro "Zonas Úmidas" de Charlotte Roche, leitura difícil, ainda que tentemos a cada página nos livrar dos conceitos que nos foram impostos, já que é tudo muito nojento e diferente do que estamos acostumadas a ver...
    Importante leitura pra empoderamento feminista, pra ver que somos todos humanos, e que também pode haver mulheres que pensam e agem assim sim!
    Se procurar, acha o livro em versão pdf pra baixar no computador, e ler, ousar ver o diferente que deveria ser aceito apenas como isso- diferente, e não cheio de nhem nhem nhem...
    E outra coisa - sororidade é bom - briguemos contra o sistema, não contra as mina!
    http://minhateca.com.br/rrf88/Documentos/-+Para+organizar/Charlotte+Roche+-+Zonas+H*c3*bamidas,39767087.pdf

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uhul!! Que lindo! Como é bom ler comentários produtivos! <3

      Excluir
  39. Não concordo com algumas partes do texto... Eu sei que este, não esta ligado em um contexto único, pois algumas partes específicas não condizem com a minha realidade e as de muitas outras pessoas. Eu adoro ser limpo, não solto gases e nem arroto na frente dos outros , quando o nome Homem é usado esta nos inserido em padrões que você revela em seu texto. A mulher tem sim (em seu direito) de se cuidar assim como o homem... Ficar cheiroso (a) e limpo (a) não é uma questao assexuada, e sim higiênico. Concordo que exista sim lado machista, lado esse não representado por mim e por muitos que tevirem o prazer em ler seu artigo. Parabéns pelo texto , e cuidado ao muito falar de machismo , você estará criando seu ideal lado feminista por um contexto geral. Mais uma vez parabéns pelo texto

    ResponderExcluir
  40. Existe o livro que deu origem ao filme e creio eu seja mais abrangente. Zonas Úmidas, :)
    Adorei o texto, desconhecia a existência de um filme inspirado nesse livro

    ResponderExcluir
  41. Panfletário, exagerado, sem bases científicas e históricas. Aparentemente, não há nada nesse mundo (que incomode uma mulher) que a ideologia feminista não possa “desconstruir” como opressão e machismo. Higiene é uma conquista da espécie e sempre foi apreciada e encorajada, em ambos os sexos, desde o momento em que os conhecimentos para aprimorá-la foram sendo descobertos e se tornando acessíveis. Se quiser agradar, escove os dentes e lave bem as mucosas. Aquelas que a natureza lhe deu.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. que tipo de base científica e histórica que meu texto deveria ter?
      Ele é um texto baseado e experiências pessoas, em um filme e em uma pesquisa sobre sexo. Não tenho como ser mais científica e histórica do que isso em um texto informal escrito para um blog.

      Não falo dessa higiene que foi conquistada pela espécia humana que contribuiu para a diminuição de doenças e coisas do tipo. O que trouxe aqui foi uma desconstrução do conceito de higiene no mundo feminino, que ultrapassou já a ideia de saúde e bem-estar.

      A ideologia feminista está aí para apontar toda a opressão que os machistas insistem em chamar de loucura ou exagero. O machismo não será mais tolerado.

      Excluir
    2. Panfleto e exagero? Este veículo é um blog. O texto não defende que a mulher ou o homem sejam sujos. O texto aborda o fato de que, culturalmente, é um valor ocidental impor à mulher, muito mais que ao homem, o cuidado consigo vinculado à higiene. O texto é perfeitamente fundamentado. Talvez não tenhas lido direito. É importante retomar. Além do mais, usar o discurso da ciência para embasar uma opinião pode ser muito perigoso. Falar de "evolução" dos conhecimentos foi um jeito, ha certo tempo, de dizer que negros eram inferiores a brancos ou que tinham mais capacidades físicas por exemplo. Foi pelo discurso científico que e fez o holocausto e inúmeras tragédias humanas. Então, dá um tempo. "Se quiser agradar"? A quem? Por quê? Quem falou em agradar alguém? Ou alguém que compartilha da tua opinião no mundo? God! Novamente, mais comentários redutores e individualizantes. Haja saco!

      Excluir
  42. Excelente texto. Adorei. Parabéns!

    ResponderExcluir
  43. Legal seu texto e concordo com tudo que escreveu. O único comentário que deixo é: homem não pode ser sujo, não. Mas sabe por que muitos deles continuam sendo assim? Porque ainda existem mulheres que acham que devem tolerar esse tipo de pessoa. O dia que todas as mulheres aprenderem que esse tipo de homem só merece um belo pé na bunda, pronto, essa raça vai ser extinta ou então eles vão todos correr para o chuveiro rapidinho...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela leitura!
      Só quero lembrar de não culpabilizar a mulher.

      Excluir
    2. Não é questão de culpabilizar, mas apenas de encarar os fatos como eles são. Existem muitas mulheres que suportam homens machistas e nojentos sem que exista mais necessidade para isso. Entendo que é difícil quebrar esses paradigma que foi imposto a elas por séculos por meio até da violência, mas sempre é tempo de mudar.

      Excluir
    3. Com certeza, André! Só não podemos jogar tudo no da mulher, os homens também ficam bem confortáveis com essa posição e não fazem nada para mudar. A mudança deve vim dos dois.

      Excluir
    4. Os homens precisam mudar as coisas junto das mulheres!

      Excluir
    5. É como a lei da oferta e da procura: só há uma coisa pq a outra também existe. No dia que nem homens e nem mulheres começarem a dizer não para o que não agrada, a coisa muda. Há quem goste da falta de higiene, há quem não goste. Mas jamais eu devo estar com alguém que não me agrada por medo ou outra coisa.

      Excluir
    6. Se a mulher tem o esposo que chega em casa todos os dias bêbado, aceita esta situação, como acredita que o cara vai mudar, ele vai continuar chegando bêbado, fedendo até cigarro por vários anos e talvez décadas.

      Não podemos mudar o mundo, podemos mudar as pessoas, principalmente nossa tolerância.

      No mesmo caso onde a mulher que tem este tipo de comportamento, se o homem aceitar, nada irá mudar.

      Excluir
  44. Parabéns ao autor do texto. Magnífico!

    ResponderExcluir
  45. Respostas
    1. Obrigada pela leitura do blog, Letícia! Abraços!

      Excluir
  46. Fantástico! não aquele do "show da vida" mas este em que a vida não é um show!

    ResponderExcluir
  47. Onde posso ver o filme? Desconhecia tanto o livro quanto filme.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente consegui o filme em um grupo de torrent privado que faço parte, então não tenho como mandar o link para baixar... Sigo procurando, se eu encontrar posto aqui!

      Excluir
  48. Muito bom o texto. Infelizmente há sim esses preconceitos. Espero que um dia possa haver liberdade e igualdade entre raças, credos, cor e sexo.

    ResponderExcluir
  49. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  50. Amanda Hilgert, texto excelente, mas qual fonte histórica diz que a sociedade católica (ou melhor, comunidade, pq somos na verdade todos pertencentes a uma sociedade) diz que a menstruação é algo "nojento, pecaminoso e algo a se esconder" ?? Não entendo pq a religião é sempre personificada de forma negativa.
    Realmente gostei do texto, mas acho que a religião nada tem haver com esse assunto.
    Até pq a igreja diz que a mulher deve ser simples e não vaidosa ao extremo, pois a igreja não é a favor da vaidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Suelen, quem diz que a mulher tem que ser simples é a Bíblia, e nós sabemos que há muito tempo a religião não seguia a Bíblia como livro inspirador. A questão de demonizar a menstruação feita pela igreja é simples: todos sabemos que é a partir da menstruação que a mulher se põe fértil, então, para impedir que elas saíssem procriando por aí, foi dito o que a Ananda falou. Conhece a Chapelzinho Vermelho? Pq vc acha que o chapel era vermelho?

      Excluir
    2. A Janaína já respondeu, mas complemento:
      A igreja demoniza o sexo. A mulher é sedutora e pecaminosa. Foi a Eva que comeu o fruto proibido e foi castigada. Como ela foi castigada? Ela passou a sofrer na gravidez, a sofrer no parto e a ter que sangrar uma vez por mês.
      A menstruação é o castigo, é ruim, é o que mostra como a mulher é pecadora.

      Excluir
    3. Vc precisa ler a Bíblia. A mulher foi castigada com as dores do parto, não com as dores da gravidez (???) e não com ter que sangrar um vez por mês. Ela foi castigada tb com o desejo sexual, porque ele levaria à gravidez e às dores do parto (isso sim, castigo da mulher). Ressaltando que uma sandice dessas é o que a Bíblia diz.
      E não existe chapel vermelho, mas sim chapéu vermelho.

      Excluir
    4. Pior que não vou ler a Bíblia não, tem outros clássicos para ler ;-)

      Outra coisa: essas informações sobre de que forma que a Eva foi castigada são bastante confusas se tu for dar uma pesquisada. Não é tão preto no branco assim. E, além de tudo, a informação específica não importa tanto, o que importa é o estigma católico sobre menstruação e sexualidade.

      Excluir
    5. É muita burrice falar de "estigma católico" e não ler a Bíblia. Vc está escrevendo sobre o que não conhece. Aliás, se vc der uma pesquisada, verá que as Igrejas cristãs demoraram alguns séculos para definir os textos canônicos, ou seja, a Bíblia. As coisas são, sim, preto no branco. É óbvio que, ao longos dos séculos, outras pessoas escreveram sobre Adão e Eva e sobre outros assuntos tb. Mas não são considerados textos canônicos.

      Excluir
    6. estigma católico não vem só da Bíblia, não é só ela que guia a forma de pensar e agir católica. Realmente não preciso ler a Bíblia para entender o pensamento dessa religião.
      Te confesso que para dizer o que disse ali sobre castigos da Eva eu pesquisei, não saí falando o que tinha na minha cabeça. A informação que eu encontrei num site de perguntas e respostas sobre a Bíblia foi essa. Se tá errado isso não me importa, não é a questão. Não estou aqui para discutir sobre a Bíblia. Te indico esse site de perguntas e respostas sobre a Bíblia se é isso que tu quer fazer.

      Excluir
    7. Quando vc disse a igreja demoniza o sexo, percebe-se que vc não conhece bem do assunto, pois isso é mentira. A igreja NÃO demoniza o sexo!
      O prazer sexual foi criado por Deus, um presente para o ser humano, que o banalizou.

      Excluir
    8. Outra coisa, Deus não puniu Eva por ser mulher, puniu pelo pecado,mais uma vez vc fala do que desconhece, não existe esse estigma todo da Igreja sobre a menstruação,essas feministas são tão loucas, acho que vcs querem que a gente saia por ai esfregando na cara e mostrando pra td mundo o nosso sangue igual algumas fazem kkkkkkk mas obvio culpar o catolicismo é sempre mais fácil. Vc não pode opinar sobre algo que não leu,é opinião cega.

      Excluir
    9. quando tu diz que o prazer sexual foi criado por deus aí já entra em questão de crença religiosa e isso não está em discussão aqui. Se tu acredita em deus, tudo bem pensar isso. Eu não acredito em deus e então pra mim ele não criou coisa nenhuma.

      Sim, deus puniu Eva pelo pecado. Te pergunto, então, que pecado foi esse???

      Eu não preciso ler toda a bíblia para ter conhecimento sobre o catolicismo. Mas alguém aqui nos comentários achou trechos ótimos que mostram sim que existe uma visão ruim sobre a menstruação pela igreja católica:

      Levítico - 12:2
      quando uma mulher der à luz um menino será impura durante sete dias, como nos dias de sua menstruação.

      Levítico - 15:19
      "Quando uma mulher tiver fluxo de sangue que sai do corpo, a impureza da sua menstruação durará sete dias, e quem nela tocar ficará impuro até à tarde.

      Levítico - 15:20
      "Tudo sobre o que ela se deitar durante a sua menstruação ficará impuro, e tudo sobre o que ela se sentar ficará impuro.

      Excluir
  51. Limpeza não tem haver com mulher e sim com o ser humano em geral, não adianta ficar se fazendo de vítima, homem não é sujo, meu pai não era, eu não sou, por favor ao invés de falar de homem e de mulher porque não falamos do ser humano que todos somos ? ficam dividindo a humanidade e criando guerra de sexo, isso já ta feio, já ta escroto, para brother .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Limpeza e quase qualquer outro hábito tem sim a ver com ser homem ou mulher. A divisão de gênero existe, ela não é inventada. Homens e Mulheres não são iguais e é isso que abordamos aqui.

      Excluir
    2. É verdade, Ananda! Tem gente que não consegue fazer uma leitura abrangente e reflexiva. Parece olhar apenas para o seu próprio umbigo. Por isso o mundo está como está: uma incompreensão.

      Excluir
    3. Homens e mulheres não são iguais? mas o feminismo não prega igualdade? E vc vem dizer que somos diferentes? kkkk tô falando, tudo incoerente.

      Excluir
    4. Fernanda, tirar uma frase do contexto não é legal, viu?

      Quando eu disse que homens e mulheres não são iguais foi indicando o discurso vigente na sociedade. Por acaso homens e mulheres são vistos como iguais? Não! Por isso que existe o feminismo, para que isso não aconteça.

      Pare de tentar achar incoerências a partir de ingenuidades, burrice e falta de reflexão. Tu como mulher deveria ser feminista. Ser contra o feminismo é ser contra ti mesma, ser contra a tua liberdade.

      Excluir
  52. Li o texto. Concordo em partes. Concordo que ainda há muita mistificação sobre a menstruação, mas já estamos em um tempo que nós mulheres temos força e discurso para mostrar ao mundo o que achamos certo. Sobre os pelos: Cabe a qualquer um escolher tê-los ou não. E cabe a mim gostar de uma pessoa que os tenha ou não. Não dá pra tiranizar tudo. É uma questão de escolha particular. Quanto à higiene íntima, falo de minha própria experiência: em apenas um ano tive 3 infecções urinárias. Se eu me descuidar um tanto da higiene é batata: ginecologista no mesmo dia. Como sou cuidadosa com a minha higiene, não aceito que meu parceiro, namorado, marido ou seja lá o que for, seja relapso, até pq é impossível ficar perto de alguém que fede. É minha preferência, mas isso não quer dizer que todas as pessoas têm que ser assim.
    Nós mulheres já fomos muito subjugadas, porém os tempos são outros. Muitas de nós são independentes e por isso podem mandar pastar o/a parceiro/a que não lhe agrade. Somos fortes e temos que dar voz as nossas vozes.

    ResponderExcluir
  53. Muito obrigada a todos pela leitura e vontade de comentar!!
    Mas li muitos comentários que falaram a mesma coisa: higiene é uma questão pessoal, não tem nada a ver com homem e mulher.
    Gente, tem sim a ver com gênero, é justamente isso que falo neste texto! Além disso, a higiene aqui tratada não é só aquela de estar limpo e pensar na saúde. Para a mulher, essa higiene ultrapassou isso. Os produtos de "higiene" feminina são muitos e vários vezes fazem mal, como aquele protetores diários de calcinha do vídeo da intimus, ou os sabonetes íntimos perfumados. Isso não é sobre apenas ser limpinho e cheiroso. Cada vez mais a mulher precisa usar produtos e mais produtos. Essa é uma forma de controle. A mulher nunca vai alcançar a perfeição que tanto é exigida dela, porque sempre vai faltar algum produtinho que ela não está usando. Isso vai além da higiene, do bem-estar, de cheirar bem. Tudo isso que é exigido da mulher pela mídia, pelos discursos que circulam na sociedade, pelas próprias pessoas que fazem o discurso andar, tudo isso não é exigido do homem. Por isso é sim uma questão de gênero e não de ser humano.

    ResponderExcluir
  54. Concordo totalmente com você, Ananda! Pq temos que ficar impecáveis enquanto muitos homens fedem. Eu já conheci muitos catinguentos. Dá lidença!!!
    Obrigada pela leitura instigante e reflexiva.
    Abraços

    ResponderExcluir
  55. Só discordo de quando diz que homem pode ser sujo e que uma mulher não desperta risos ao ser tratado com suja nos filmes. Nunca me senti obrigado a gostar de uma mulher limpinha e se existe alguma mulher que acha que deve aceitar um homem sujo "pq homem é assim" o problema está nela e não no porcão.

    Sou homem e não acredito que se não cuidar de minha higiene deve achar normal só pelo fato de ter barba na cara e testículos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. esse texto trata de uma visão mais ampla sobre o assunto da higiene exagerada e da divisão de gêneros. Opiniões individuais nada tem a ver com isso.

      Excluir
  56. A questão do homem ser nojento e ser um troféu, discordo, se a mulher aceita um homem porco, ele vai ser porco, se a mulher não aceita e o homem continua, troque o homem.

    Sobre homens terem nojo de vagina, isso tem um precendente religioso onde somente sexo "tradicional" é permitido, nada de anal ou oral, muitas pessoas acreditam que serão punidas por ter prazer de formas diferentes e acreditam que explorar o corpo é pecado.

    Lendo o texto, vi alguns traços de feminismo, não vamos generalizar, da mesma forma que existem homens porcos, existem mulheres porcas também, da mesma forma que mulheres que não gostam de homens fedendo, homem também não vai gostar de uma mulher com odor forte, existem sabonetes que ajudam a controlar o PH vaginal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi!
      O texto não contém traços de feminismo, ele é inteiramente feminista! :-)

      Tu tornou a questão muito simples: se a mulher não gosta de homem sujo, troque de homem. Não é bem assim. Primeiro, não estamos falando aqui sobre relacionamento apenas, sobre a mulher ter que ficar com um cara sujo enquanto ela é obrigada a ser limpinha. Não tem nada a ver mesmo.

      A questão é pensar nos discursos que circulam na sociedade que permitem que um homem possa ser mais "sujo" do que a mulher, ou que isso seja até vangloriado como um ato de macho. Não vai me dizer que tu nunca ouviu piadinha sobre homem que usa "creminho" e isso faz dele "uma bichinha"??

      A mulher não quer trocar o homem. Nem tudo no mundo da mulher gira em torno do homem com quem ela se relaciona, viu?

      O que falamos aqui sobre higiene vai muito além de pequenos cuidados para não ter mal cheiro.

      Excluir
  57. Gostaria de saber onde tu assistiu o filme... procurei online mas não achei, estou super curiosa! ;)

    ResponderExcluir
  58. Adorei o texto, Quero aqui deixar meus parabens a você! Sabe ? eu queria que tu me desse uma opiniao. Eu tenho fantasias com mulheres ou garotas com o odor natural , natural de nós seres humanos. Me relacionei poucas vezes sexualmente , pra ser mais preciso , uma vez só e é estranho eu falar sobre isto mas , eu tenho dentro de mim que , deve ser muito prazeroso fazer sexo com uma garota que esteja com o cheiro nas partes intimas e nas axilas desagradavel , nao quero parecer vulgar , se parecer , me desculpe , é meio que um desabafo porque sei que seria muita recriminado por essa minha fantasia e aqui é a unica forma de me abrir dessa forma... Eu sinto atraido por mulheres com pelos na vulva , cuspe , saliva de mulher , quando lambem suas axilas e a maior atraçao que tenho , é sexo oral em vocês (mulheres).. Enfim , você acha que devo procurar um psicologo ? sera que sou louco ? doente ?=( ... Mais uma vez deixo os meus parabens pelo texto

    ResponderExcluir
  59. Gostei muito do texto,sério... Meus parabéns! <3

    ResponderExcluir
  60. Eu sempre estive com homens tão limpos quanto eu, e tão humanos quanto eu.
    Sabe como é, uma pessoa com baixa auto estima, sempre irá encontrar alguém que a deixe mais preocupada com tudo... Ou seja, acho que esses complexos são mais do meio em que se vive.
    Sempre falei em menstruação, e é óbvio que é uma coisa normal. Ninguém me falou que eu tinha que usar carfree, as empresas criam produtos de acordo com a necessidade do consumidor. Carfree é vida! A sensação de estar fresquinha é para mim em primeiro lugar. Enfim, achei o texto muito rebelde demais. Sempre haverá uma situação nojentinha pra rir com seu parceiro, se não tiver humor. Melhor trocar de namorado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Julia, acho que ficaste muito presa a tua experiência pessoal e não pensaste sobre o contexto histórico-social, que foi o que o texto trouxe.

      Excluir
    2. Júlia, é necessário pensar sobre questões mais amplas pra discutir essa temática. A indústria não cria produtos para atender as necessidades do consumidor. É o contrário. A indústria cria as necessidades. É a indústria que faz essa mediação sobre como deve ser a mulher. A tua vontade e leveza em se sentir "fresquinha" não é uma construção apenas individual - ela é plenamente pautada por valores da história e da cultura da qual fazemos parte. Essa história de achar o texto "rebelde demais" me faz até rir. Tu só achou o texto "rebelde" - e denotou isso como algo negativo - justamente porque ele desnaturaliza vários conceitos ideológicos cristalizados no social. Enfim, desejo que abras a mente.

      Excluir
  61. Uau! texto fantástico e sem brechas para acusações de feminismo barato. Tudo o que foi dito ficou claro e sem mimi's.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada pela leitura e pelo elogio! É bom ler isso no meio de tanta gente me acusando de feminista exagerada e sem fundamento...

      Excluir
    2. "sem brechas para acusações de feminismo barato", "sem mimi's".
      Do seu ponto de vista isso.

      Ananda você não parece ser uma pessoa de má índole ou caráter, então vou me permitir expressar minha opinião aqui.
      Não vi esse filme, mas acho que comparar um peido ou um cara que esteja fedendo por não tomar banho à uma mulher se esfregando em vasos de banheiros públicos imundos não é sensato. Isso independe de sexo, se fosse um homem se esfregando em um vaso sanitário imundo eu ia achar tão nojento quanto. De repente se as piadas de Helen (novamente, não vi o filme) fossem sobre peidos e banhos seria mais fácil achar engraçado, e não nojento (aqui abro um parêntese para dizer que piadas sobre peidos não são tão engraçadas quanto você está fazendo parecer, do meu ponto de vista, obviamente).
      Em tempo, afirmo que discordo de diversas notas dadas a filmes no IMDB, site que visitei para ver que a nota (atualmente 5,3) e percebi que a capa do filme contem os dizerem "The most WTF, NSFW movie at this year's sundance film festival". Posso estar enganado mas não é como se o filme fosse ganhar um Oscar se trocassem a protagonista por um homem.

      "Mulher não pode ser suja, não pode arrotar na mesa, se coçar, ter cabelo oleoso. Homem pode."
      - Mulher pode fazer todas essas coisas. Qual é a lei que proíbe isso? Agora ser uma mulher suja, sem etiqueta e também querer que um galã de hollywood apareça sobre um cavalo branco e se jogue aos seus pés já é assunto pra outra conversa.

      "Não que o homem sujo seja idolatrado por isso, mas ele pode, homem é assim, homem é nojento mesmo"
      -Homem é nojento? Acho que é possível que você esteja inserida em um círculo cujo qual não pertence. Ou com as convicções distorcidas.

      "Quantos produtos de higiene feminina existem?? Quantos produtos de higiene masculina existem? "
      -Você está tentando imputar valor estritamente social a algo que possui fator quase estritamente biológico. A pele da região genital feminina é mais delicada, por isso, mais suscetível a agentes externos. A higiene íntima da mulher é importantíssima e ajuda a aumentar as defesas do organismo feminino. A higiene é importantíssima para um homem em diversos aspectos também. Um homem que pratique a higiene adequada vai ser menos propenso a contrair determinadas doenças, mais propenso a encontrar uma mulher para ser seu par, mas o organismo feminino, pelas suas próprias características biológicas, necessita de maior cuidado.

      "Mulher precisa se depilar, se não é porca."
      -Argumento falacioso. O que vocês feministas precisam perceber é que a mulher não é oprimida da forma como vocês pensam e ilustram. A mulher pode não se depilar e viver com a axila parecendo um arbusto. Ela não vai ser presa, nem executada por conta disso. O problema é que ela vai ter mais dificuldade em achar um par. Vocês vão dizer que isso é preconceito da sociedade, mas então porque homens poderosos e/ou endinheirados e/ou influentes tem facilidade sensivelmente maior para encontrar um par? Ou homens altos? Preconceito da sociedade também? Não! Porque mulheres buscam determinadas características em homens tanto quanto homens buscam em mulheres, só não são sempre as mesmas. A missão de vocês é dizer que EU (ou qualquer homem) tenho que querer (ênfase no querer) ficar com uma mulher sem higiene.

      "Naqueles dias? Por que a gente teve que inventar uma expressão pra isso?"
      -Você inventa porque você quer. Se falar "estou menstruada" não é a sociedade que vai rejeitar, e sim os frescos.

      Excluir
    3. continuando...

      "Foi tão bem construído pela sociedade machista e católica que a menstruação é algo nojento, pecaminoso, que deve ser camuflado, escondido, não falado, porque é algo que só a mulher tem"
      -A igreja católica até tem visões antiquadas sobre a menstruação. Mas falar que a SOCIEDADE MACHISTA construiu essa visão é um insulto, quando eu vejo a maioria dos homens dizer frases como:
      "O verdadeiro marinheiro navega até no mar vermelho"
      "O guerreiro de verdade tem sangue na sua espada"
      E por aí vai...
      Até porque existem mulheres que preferem não fazer sexo na menstruação porque elas acham nojento. Existem homens frescos e mulheres frescas, isso não é preconceito social ou machista.

      "Enquanto o homem se diverte com o seu privilégio de poder fazer xixi de pé sem nem usar papel higiênico, as mulheres precisam carregar tudo que é coisa na bolsa para evitar sentar num banheiro sujo e não conseguir se limpar depois."
      -Privilégio? Isso é uma característica BIOLÓGICA dona, enxergue isso. Vocês feministas acreditam mesmo que homens e mulheres são iguais, e isso é uma inverdade. Os organismos dos homens e mulheres são diferentes e devem ser tratados de acordo. A mulher PRECISA de mais cuidados para evitar doenças, e os diversos sabonetes especiais, cremes e produtos relacionados servem também para isso, isso não é PRECONCEITO contra a mulher, e sim uma preocupação da sociedade com a mulher. Por conta de inovações científicas que permitem a descoberta e criação de produtos e medicamentos do tipo, é que as mulheres vem ganhando cada vez mais expectativa de vida (até mesmo que os homens), visto que de acordo com o IBGE, de 1980 até 2013, houve aumento de 11,7 anos na expectativa masculina e 12,9 anos na feminina. Não é uma questão social: "As mulheres precisam ser higiênicas porque eu quero que sejam pra ficarem bonitas e cheirosas pra mim" e sim uma questão de saúde e bem estar, visto que elas estão mais propensas a desenvolver doenças por causas relacionadas a higiene.

      "Mais uma vez, as sujeiras masculinas são permitidas, são troféus de masculinidade; as femininas são nojentas e devem ser evitadas."
      -Uma hora são sujeiras, outra hora secreções completamente naturais. Se decida.

      Excluir
    4. continuando...
      "À mulher é negada a masturbação, o conhecimento do corpo, o parto natural (claro, com cesárea a gente pode fazer escova no cabelo e pintar as unhas e ficar bem linda pra foto com o bebê limpinho)"
      -Isso é um argumento absurdo dona. O que você está falando não tem nenhum embasamento. A mulher ocidental não tem o direito de se masturbar? De conhecer o corpo? Vamos fazer um teste. Vai agora no seu banheiro e comece a se tocar na área genital. Vê se vai aparecer um esquadrão do choque pra te prender. Outra coisa, o parto cesáreo foi criado para salvar a vida da mãe ou da criança quando o parto natural apresenta riscos para as mesmas, porém o que ocorre na realidade é o seguinte: O parto cesáreo é um procedimento bem mais caro que o parto natural, logo gera muito mais dinheiro. Médicos e médicas por vezes induzem a paciente grávida a fazer um parto cesáreo mesmo não havendo necessidade, mas não por motivos sexistas e sim por motivos financeiros (atitude reprovável e anti ética, no meu ponto de vista). Sem contar com as mulheres que preferem fazer parto cesáreo para ficarem bonitas para foto ou por conta do menor esforço e dor (preferência da própria mulher, não imposta pela sociedade).

      "Tá na hora de rever o que é higiene e saúde e o que é opressão e negação de empoderamento feminino."
      -Se você quer largar seus produtos e ser uma mulher que não se preocupa com a higiene ou o odor ou a aparência, vá e faça isso. Ninguém vai te prender. Mas não venha me obrigar a te querer. Mulher nenhuma deseja um homem que não se cuide. Um cara 'monocelha', cheio de caspa no cabelo, dentes sujos e/ou amarelos, fedorento, com unha por fazer não arranja uma mulher também dona. Se o seu problema é com higiene íntima da mulher, entenda que isso não é culpa de sociedade machista e sim característica intrinsecamente biológica. Agora se seu problema é com depilar a axila, vai na fé. Mas espero que entenda que da mesma forma que homens tendem a procurar mulheres bonitas e cuidadas, mulheres tendem a procurar homens com status social dentro de seus círculos. Não estou dizendo que as mulheres são interesseiras da mesma forma como não estou dizendo que os homens são superficiais, mas o ser humano utiliza determinados aspectos para selecionar seu par, e a questão é que para homens e mulheres estes aspectos são por vezes parecidos, por vezes diferentes. Por isso que quase sempre a mesma cantada tem recepções diferentes quando proferida por um pedreiro e um milionário, por exemplo. Mulheres tendem a procurar homens altos em detrimento de homens mais baixos, quer dizer que então os baixinhos são rejeitados pela sociedade? Homens preferem mulheres limpas e que cuidam da higiene. A maioria dos homens também acha bonito a mulher não ter pelos na axila e na perna. Eu particularmente acho bonito uma mulher depilada, mas não acho porca uma mulher com pelos na perna. Talvez eu achasse estranho uma perna completamente cabeluda, mas eu me reservo esse direito, de procurar uma mulher que eu ache atraente (pra mim), engraçada, inteligente, que não seja promíscua, etc. Aqui cabe uma observação, eu tenho vontade de fazer depilação permanente em maior parte do corpo porque não gosto de pelo, ou seja, eu não acho que mulher peluda é algo feio, eu acho que ser peludo não é muito agradável à visão, independente de sexo. Esse é o preconceito social que vocês inventaram, o homem não pode querer uma mulher cuidada, que ele automaticamente está sendo preconceituoso com a que não se cuida. Isso é uma falácia utilizada de maneira maligna pelas feministas para culpabilizar o homem de uma algo pelo qual ele não tem culpa alguma. DETALHE: a maioria das mulheres DIZ se cuidar, ir para academias e utilizar produtos de beleza porque QUEREM, se sentem bem e gostam de estar bonitas e porque isso é bom para a autoestima das mesmas, não porque querem parecer bonitas para os homens ou para a sociedade.

      Um ótimo fim de semana.

      Debize

      Excluir
    5. Primeiro sobre o filme: o humor personagem homem + nojeiras quaisquer é usado constantemente no cinema. Jamais disse que isso era engraçado para mim, mas para a sociedade como um todo. É um conceito de humor que existe, que se propaga, que está no cinema e que muita gente gosta. O mesmo não existe com mulher. Tu, na tua opinião como ser individual e separado da sociedade, pode não achar engraçado homens nojentos, mas isso existe, tu precisa aceitar que existem discursos para além do que tu pensa.
      Óbvio que o filme não iria ganhar um Oscar, mas teria mais chance de circulação e conhecimento de um público mais amplo se a personagem fosse um homem. Ele só é o filme mais WTF por ser com uma mulher.

      Outra coisa extremamente importante e que tem a ver com todas as tuas tentativas de desconstrução do meu texto: o teu conceito de "poder" é bem diferente do meu. Quando digo que uma mulher não pode fazer uma coisa, não quero dizer que tem uma lei proibindo isso. Esse poder e não poder tem mais a ver com aceitação social, com padrão de comportamento, com fazer o que a sociedade e os discursos dominantes querem de ti.
      Não, a mulher não pode sair poder aí peluda. Ela vai ser imediatamente chamada de hippie, feminazi, porca, suja, lésbica, comunista, e uma série de adjetivos que a grande parte conservadora da sociedade usa para definir alguém que quebra algum padrão. Tá certo, ninguém vai prender ela, mas ela não vai ser considerada uma mulher normal, limpinha, comportadinha como o mundo quer que as mulheres sejam.

      Outra coisa muuuuuito importante: eu nenhum momento disse que os homens deveriam achar atraentes mulheres sujas. Não quero que um príncipe num cavalo branco ame uma mulher que não se depila. Isso é coisa de homem achando que o mundo todo e o feminismo gira em torno deles. Tudo que eu escrevi aqui são para as mulheres. To cagando se os homens vão gostar.

      Sim, homem é nojento. Mais uma vez estou falando de uma ideia, um discurso, um estereótipo, não sobre homens específicos com quem eu convivo. Existem sim a ideia geral de que homem é mais nojento do que mulher, homem pode tomar atitudes que para mulher seria errado, seria não agir como uma lady como ela deveria ser. Por favor, te desprende da tua visão de indivíduo se não tu nunca vai entender nada sobre feminismo ou qualquer outro movimento contra opressão.

      "O que vocês feministas precisam perceber é que a mulher não é oprimida da forma como vocês pensam e ilustram." - Sobre isso quem sabe são as mulheres. Como tu pode julgar a opressão e dor que tu não conhece??
      O que vocês machistas precisam aprender é que a mulher é oprimida em cada canto, em cada segundo, em cada momento da vida, em todo lugar, de mil formas. Aceita isso e tenta não piorar a situação.

      "-Você inventa porque você quer. Se falar "estou menstruada" não é a sociedade que vai rejeitar, e sim os frescos." - Querido, tu não tá entendendo nada. As pessoas que usam expressões que aqui chamei de machistas, ou eufemismos, não são frescas ou nojentinhas, não são elas que inventaram. Ninguém diz "naqueles dias" porque ela sozinha acha que não pode falar "estou menstruada", isso é algo ensinado, martelado na cabeça, um discurso opressor do qual as pessoas têm dificuldade de se libertar e falar o que realmente gostariam.

      Tu também não entendeu o que tentei mostrar sobre higiene. O cuidado com o corpo e com a higiene do qual falo aqui vai para além da prevenção de doenças. Óbvio que o corpo masculino e feminino são diferentes e por isso exigem cuidados diferentes. Mas os cuidados que são exigidos das mulheres vão muito além da básico, tanto que vários produtos na verdade fazem mal, mas são vendidos porque as mulheres acham que precisam evitar qualquer tipo de pequeno odor natural, as mulheres são ensinadas a parecerem bonecas que não tem um corpo com mucosas, líquidos, cheiros etc.
      A higiene que menciono aqui não tem nada a ver com saúde.


      Excluir
    6. "-Isso é um argumento absurdo dona. O que você está falando não tem nenhum embasamento. A mulher ocidental não tem o direito de se masturbar? De conhecer o corpo? Vamos fazer um teste. Vai agora no seu banheiro e comece a se tocar na área genital. Vê se vai aparecer um esquadrão do choque pra te prender".
      Vou continuar o teu teste. Vou ali no banheiro aqui me masturbar, aí vai ser bem legal porque o esquadrão de choque não vai atrapalhar meu orgasmo. Uhuu!! Depois vou fazer o seguinte: vou contar numa roda de amigas que me masturbei hoje. Aí tu pode ter certeza que muitas delas vão virar esse esquadrão de choque, e não porque elas são nojentinhas, mas porque elas foram ensinadas desde de pequenas a ignorarem o próprio corpo, a não se tocarem. Enquanto meninos fazem piada sobre masturbação desde os 10 anos de idade, meninas jamais pode falar sobre isso. Tu não tem conhecimento sobre esse assunto. Masturbação feminina é sim um tabu, é visto como algo feio, errado, coisa de lésbica, de mulher mal comida. Se tu não acha isso que bom, mas esse é o discurso vigente.

      Excluir
    7. "preferência da própria mulher, não imposta pela sociedade" - isso é muita ingenuidade tua. Só o que eu tenho pra dizer sobre isso.

      "Mas não venha me obrigar a te querer. " - de novo, como sempre, um ômi achando que empoderamento feminino tem a ver com ele, com a permissão dele, com o gosto dele. Eu quero que mulheres se sintam livres para fazer o que têm vontade de verdade e não ficar pensando se algum homem vai querer elas. O mundo feminino não gira em torno do mundo masculino, sinto muito ter que te dar essa notícia.

      "Mulheres tendem a procurar homens altos em detrimento de homens mais baixos, quer dizer que então os baixinhos são rejeitados pela sociedade?" SIIIMMMM

      "Eu particularmente " - pequeno trecho do teu comentário que define tudo. Tu particularmente não me interessa, não interessa para o feminismo, não interessa para a luta das mulheres. Tu particularmente pode querer só mulheres depiladas, loiras, com cheiro de rosas, tu particularmente pode querer que a tua mulher se masturbe todos os dias, tu particularmente pode pensar o que a tua vidinha particular te permite. Este texto não é sobre a tua vida e a tua opinião separada do social. Este é um texto sobre sociedade, sobre uma visão ampla e não particular de mundo.

      Tá faltando muito pra ti ver que nós não estamos sozinhos com nossos pensamentos e vontades. Somos seres sociais e políticos. Uma mulher fazer cesárea não quer dizer que ela escolheu isso porque ela particularmente quis isso. Para de tentar de separar do resto do mundo e ter essa ideia suuuuuper ingênua de que as pessoas tomam suas decisões a partir das suas preferências, sem opressão, sem discurso, sem padrão.

      "DETALHE: a maioria das mulheres DIZ se cuidar, ir para academias e utilizar produtos de beleza porque QUEREM, se sentem bem e gostam de estar bonitas e porque isso é bom para a autoestima das mesmas, não porque querem parecer bonitas para os homens ou para a sociedade." - já disse tudo sobre isso aí acima.

      Chega de ingenuidade.

      Excluir
    8. Meu querido Debize, ri muito, ri alto com os teus comentários. Acho que você deveria fazer stand-up comedy onde você mora. Daqueles bem machistas, com um fundo moralizante para a plateia se conformar com o machismo. Afinal, tudo o que você escreveu é uma das maiores piadas que eu já li. Escrita de quem não estuda, e, pior ainda, ignora uma luta social. Tu não entende que ser homem ou mulher é algo cultural. Se é feito pelo homem, pode ser desconstruído. E não me venha com argumentos biológicos, de que pênis e vagina são diferentes, pois parece um pensamento de padre. Tudo isso que a Ananda tentou é desmontar as construções de gênero na sociedade. Um pouco de filosofia, um pouco de humildade e mais uma pitada de altruísmo são os ingredientes que tu precisas antes de vir aqui e dar uma aula de dominação. Parabéns, Dominatrix!

      Excluir
    9. Começando pelo mais fácil, Luís,
      Você não apresentou nenhum argumento, diferente da Ananda, que ao menos expôs suas idéias de forma organizada.
      A sua resposta foi somente uma tentativa de me ridicularizar sem precisar apresentar nenhum ponto ou argumento, mas já vejo diariamente esse tipo de ardil praticado pelas (pelos) feministas.
      Tua resposta simplesmente foi ruim, poderia ter se esforçado e feito uma como a da Ananda, que vai me dar ao menos algum trabalho.

      Ótimo final de semana.

      Excluir
    10. Boa tarde Ananda,

      "o humor personagem homem + nojeiras quaisquer é usado constantemente no cinema."
      - Sim, mas não quer dizer que vá fazer sucesso, que inclusive não faz. Esses filmes existem e são colocados em cartazes e em trailers mas eles não fazem grande sucesso e é isso. Se você pegar Cheech e Chong ou Jay e Silent Bob ou quaisquer outros filmes com caras que fazem piadas sobre peidos, você vai ver que as notas deles não são altas. Novamente não respondeu a minha proposição, que foi a diferença entre essas 'nojeiras'. No seu texto você cita peidos e homens fedorentos contrastando com usar secreções como perfume e se esfregar em vasos sanitários. Como não vi o filme não posso dizer muito sobre o caso, mas me parece que são coisas bem diferentes e parece também que, ao compará-las, você quis 'puxar a sardinha' um pouco pro seu lado.

      "Óbvio que o filme não iria ganhar um Oscar, mas teria mais chance de circulação"
      -Não sei se propositalmente ou não, mas você escolheu um filme alemão para comentar, e sabidamente nós temos no Brasil, um certo culto à cultura norte-americana. Talvez se esse filme tivesse sido produzido nos 'states' poderia ter maior circulação ou até mesmo uma nota maior na revisão do público. O fato de ser homem ou mulher não é o único (existem inúmeros) fator que pode OU NÃO afetar esses índices. Se isso é certo ou errado já é outro assunto, mas já falar que é a culpa é da sociedade que não aceita um protagonista mulher nesse tipo de filme já é forçar a barra.

      "Não, a mulher não pode sair poder aí peluda. Ela vai ser imediatamente chamada de hippie, feminazi, porca, suja, lésbica, comunista"
      -Talvez você esteja certa, eu nunca vi nem ouvi falar de uma mulher ser hostilizada dessa forma somente por estar peluda, então eu devo estar 'viajando' mesmo, só pode ser. Mas de qualquer forma, como eu disse à dona Raquel, quando a pessoa é hostilizada dessa forma ela pode prestar queixa. Existem meios legais para isso. E o ser humano por vezes tem atitudes agressivas com outros, isso é da natureza humana, não é porque as mulheres são vítimas de preconceito. O homem gordo é chamado de preguiçoso e guloso, o homem sarado dizem que usa bomba, o nerd gamer é virgem e não tem vida social, o cara que gosta de sair e ir pra bailes é galinha e não presta. O ser humano rotula e julga, isso é uma coisa interna dele e vai existir por mais séculos ou milênios. O problema é ele agir baseado nisso, e prejudicar outrem (no caso as mulheres). Você vai me dizer que ele faz isso com as mulheres, e eu vou te responder que com os homens também, e quem fere o direito alheio deve ser julgado pela lei, independente de sexo. e se existem papéis que as mulheres historicamente cumpriram o homem também teve seu papel, que não foi só de direitos, como muitas de vocês querem nos fazer acreditar.

      "eu nenhum momento disse que os homens deveriam achar atraentes mulheres sujas."
      -Homem, mulher o qual for sua opção sexual. O problema não é a mulher não ser aceita na sociedade. Uma mulher com pelo nas pernas não consegue uma educação de qualidade? Ou não consegue arrumar um emprego (que ela tenha qualificação para esse emprego)? Será que a família dela vai renegá-la? Não é o caso.

      "Sim, homem é nojento."
      -Sério, como eu vou argumentar com isso? Se eu falasse (longe de mim, até mesmo porque não acho isso) que mulher é nojenta, eu seria vítima de cyberbullying aqui. Na verdade alguns aí que não quiseram argumentar até tentaram mesmo fazer isso, e eu nem precisei falar algo desse nível.

      Excluir
    11. continuando...
      "Mais uma vez estou falando de uma ideia, um discurso, um estereótipo, não sobre homens específicos com quem eu convivo.Existem sim a ideia geral de que homem é mais nojento do que mulher"
      - Então não são os homens que você convive, mas sim todos os homens que são nojentos. Ananda assim fica difícil. A maioria das mulheres já deixou de ser lady, e a maioria dos homens já deixou de ser gentleman (é, também existem homens não nojentos, bem arrumados, perfumados e cuidados, quem diria).

      "O que vocês machistas precisam aprender é que a mulher é oprimida em cada canto, em cada segundo, em cada momento da vida, em todo lugar, de mil formas. Aceita isso e tenta não piorar a situação."
      -Ananda, esse discurso é de feminista extremista. Aquelas mulheres que acreditam que todo homem é um potencial estuprador e que qualquer cantada é uma forma de estupro.

      "Ninguém diz "naqueles dias" porque ela sozinha acha que não pode falar "estou menstruada", isso é algo ensinado, martelado na cabeça, um discurso opressor do qual as pessoas têm dificuldade de se libertar e falar o que realmente gostariam."
      - Que tipo de opressão é essa? Que a pessoa pode falar menstruação a hora que quiser em qualquer local. Se a mulher quiser falar da menstruação dela à mesa de jantar, que fale, mas aí o homem poderia também ficar falando do seu pênis e escroto e seria natural também, porém por qualquer motivo as pessoas não gostam de ficar pensando em órgãos sexuais quando estão se alimentando. É talvez isso seja um problema social, você tem um ponto, mas ainda assim não é opressão contra a mulher, opressão é o que sofrem as mulheres no oriente médio, e não uma mera regra de etiqueta que os pais ensinam aos filhos.

      "Mas os cuidados que são exigidos das mulheres vão muito além da básico, tanto que vários produtos na verdade fazem mal, mas são vendidos"
      - ...porque custam dinheiro e grandes empresas querem dinheiro. Existe uma indústria que gira em torno de aparelhos de aumento peniano. Onde houver uma fraqueza humana, vai haver alguém tentando ganhar dinheiro com isso. Isso não é exclusividade das mulheres.

      "Masturbação feminina é sim um tabu, é visto como algo feio, errado, coisa de lésbica, de mulher mal comida."
      -Tá aí uma coisa, homens não saem por aí falando das suas experiências masturbatórias. Devem existir homens por aí que não se masturbam mas devem ser poucos. E mulheres? Muitas dizem que não se masturbam por medo de parecer promíscuas perante a "sociedade opressora", quando na verdade a maioria dos homens acha lindo isso:
      "Mil leitores da Playboy, VIP, Alfa e Men's Health contam tudinho sobre o que esperam no sexo:
      Você fica excitado quando ela se masturba em sua frente?
      Gosto, mas não quero que ela chegue até o final sem mim: 608 - 47.91%
      Sou capaz de ter um orgasmo só de olhar: 454 - 35.78%
      Fico meio incomodado de vê-la se divertindo sem a minha participação: 160 - 12.61%
      Mulheres não deveriam se masturbar: 47 - 3.7%"
      fonte: http://mdemulher.abril.com.br/amor-e-sexo/womens-health/pesquisa-exclusiva-revela-o-que-os-homens-querem-na-cama
      Estou até procurando pesquisar mais sobre isso porque sei que algumas mulheres se sentem envergonhadas ao falar de masturbação. Mas ainda assim culpar a "sociedade machista" é um desvio.

      Excluir
    12. continuando...
      "isso é muita ingenuidade tua. Só o que eu tenho pra dizer sobre isso."
      -Você ignorou os meus diversos argumentos, explicitou somente um deles e escreveu isso aí. Assim não se faz um debate.

      "Eu quero que mulheres se sintam livres para fazer o que têm vontade de verdade e não ficar pensando se algum homem vai querer elas"
      -Eu quero que homens se sintam livres para fazer o que têm vontade de verdade e não ficar pensando se alguma mulher vai querer eles.
      Funciona igual. Pena que vocês só enxergam o que as afeta. E digo mais o que você deseja é que as mulheres possam fazer o que quiserem, pois bem hoje em dia as mulheres fazem muito mais do que fizeram no passado, mas aí aquela mulher que hoje fica transando com vários caras e que usa drogas ilícitas e seja lá o que mais, essa mulher não quer ser vista como promíscua. Então o discurso é: "O homem pode e eu não." O que vocês não querem ver é que o homem que transa com várias mulheres é considerado um galinha e um promíscuo pelas mulheres da mesma forma. E nenhum homem vai chegar pra você e falar "Ananda eu transei com três mulheres sem camisinha no mesmo baile funk, mas você não pode me ver como um promíscuo". As mulheres elas querem fazer o que der na telha e não ter consequências. Quer transar com mil caras, beleza. Mas se alguém quiser pensar que você é promíscua é um direito da pessoa. Ela não tem o direito de te apedrejar, nem de te humilhar, mas ela pode pensar o que quiser, até hoje não tem lei que proíba isso. O mesmo vale para uma mulher fedorenta, ou um homem fedorento. Não há lei que proíba ser fedorento mas é necessário ARCAR com as consequências sociais que isso gera, seja mulher ou homem. Quer ser peluda, beleza. Me mostra os casos aí de mulheres peludas que foram humilhadas ou agredidas. E se foram os agressores deveriam ser julgados e presos, isso já existe no ordenamento jurídico. Como os que agridem mendigos, os que agridem e matam animais. Isso não é preconceito, isso é O SER HUMANO. A maldade existe nesse mundo e os psicopatas existem e estão disfarçados, são verdadeiros lobos em pele de ovelha, nisso sim é possível concordar.

      ""Mulheres tendem a procurar homens altos em detrimento de homens mais baixos, quer dizer que então os baixinhos são rejeitados pela sociedade?" SIIIMMMM"
      -Então suponha que eu tenha 1,60m e seja um homem. Eu consigo ter uma educação, arrumar um emprego e uma vida saudável e significativa, mas se é mais difícil para mim conseguir um par por conta de algo que depende da escolha da mulher, então eu sou vítima da sociedade? Não dona eu simplesmente vou ter que procurar uma mulher que goste de baixinhos ou que procure outras qualidades em um homem e me aceite com o meu tamanho. Eu não vou mudar a sociedade inteira para que ela se adeque a mim.

      Excluir
    13. continuando...
      "Este é um texto sobre sociedade, sobre uma visão ampla e não particular de mundo."
      -Negativo. É a sua visão de mundo, que você compartilha com algumas pessoas. Como a minha, que eu também compartilho com algumas pessoas.

      "Tá faltando muito pra ti ver que nós não estamos sozinhos com nossos pensamentos e vontades."
      -Eu posso dizer o mesmo às feministas. Tudo que elas tem são vontades e exigências. As mulheres começaram a exigir nos últimos séculos os direitos de votar, ter uma educação e trabalhar e fazer carreira. Esses direitos você não tem? A mulher ocidental é oprimida quando? Quando é sugerido que faça um parto cesáreo? Ora que negue a sugestão e pare de se vitimizar. Pressão do meio TODOS nós sofremos. Quem mora na favela pode sofrer pressão para se juntar ao tráfico de drogas? Sim, mas é escolha dele entrar ou não. Só existe bandido no morro? Não, tem muita gente com oportunidade de estudo, educação e nível superior se corrompendo (vide políticos e os médicos anti éticos que sugerem parto cesáreo para ganhar dinheiro).

      "Para de tentar de separar do resto do mundo e ter essa ideia suuuuuper ingênua de que as pessoas tomam suas decisões a partir das suas preferências, sem opressão, sem discurso, sem padrão."
      -Agora vou usar um argumento bem do tipo que estou vendo aqui: Opressão, opressão, opressão.

      "Opressão social é quando uma pessoa é alvo da crueldade e humilhação por parte de uma sociedade ou um determinado grupo."

      Ótimo fim de semana!

      Excluir
    14. Tudo que tu escreveu foi exatamente igual, os mesmos argumentos, a mesma visão cega de mundo.
      Não vou mais me dar o trabalho de desconstruir cada pedacinho da tua escrita porque ela se resume em visão individualista de mundo e desconhecimento sobre feminismo.

      Apesar de discordar de TUDO que tu escreveu, admiro a tua vontade de ler, escrever e argumentar. Desejo então que tu acompanhe mais este e outros blogs feministas, leia Simone de Beauvoir e, se quiser se aprofundar mesmo em estudos sobre sociedade, discursos e contexto sócio-histórico, estude Michel Foucault, por favor.

      Excluir
  62. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  63. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  64. Seu Debize, sabe, eu sempre me impressiono com a ignorância. E é realmente incrível a capacidade que tiveste de escrever LIVROS DE BOBAGENS/ INGENUIDADES. De verdade, tu não entendes nada sobre essa temática. Precisa estudar, precisa ampliar a tua visão sobre o social. Tuas última frases só confirmam tudo o que tu escreveu (E, vejam só, pelo menos tu tem coerência interna): "DETALHE: a maioria das mulheres DIZ se cuidar, ir para academias e utilizar produtos de beleza porque QUEREM, se sentem bem e gostam de estar bonitas e porque isso é bom para a autoestima das mesmas, não porque querem parecer bonitas para os homens ou para a sociedade."

    Não, as mulheres não QUEREM qualquer coisa por um desejo individual/ de pura consciência. Ao dizer isso tu só denota ingenuidade e ignora toda a história, a política e a cultura. Além de tudo, deslegitima a luta das minorias - e faz isso apenas pra ti mesmo. As mulheres, como toda a classe que por séculos foi (e é) submetida a mecanismos de dominação, atua dentro desses meios. Então, Debizie, esse sujeito de pura consciência que tu acreditas que existe, sinto te informar - não, ele não existe dessa forma. Uma mulher não põe perfume pra se sentir bonita pra ela. Num plano individual esse discurso se opera - mas isso é uma construção social. Uma mulher que não se depila e aparece na praia choca as pessoas. E por quê? Porque não é uma construção social, em muitos contingentes, que a mulher possa sim escolher manter seus pelos no corpo. Iisso não é NATURAL. Não é um desejo da NATUREZA DA MULHER. É um desejo mediado por um sistema de regras que se opera nessa formação. Enfim, vai estudar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde Raquel,
      Bom, você disse umas três ou quatros vezes no seu texto que eu sou ingênuo e que não sei de nada e que preciso estudar. mas não se explicou.

      "Não, as mulheres não QUEREM qualquer coisa por um desejo individual/ de pura consciência."
      -Você ao dizer que as mulheres não querem qualquer coisa por desejo individual, só está implicando que as mulheres são mais influenciáveis e possuem menos discernimento, e eu discordo desse discurso. As mulheres querem sim e correm atrás de seus objetivos sim, e por vezes são pressionadas a fazer coisas que não querem, pela família, amigos ou o meio em que estiverem. Entretanto todos os seres humanos sofrem essas pressões e é sim escolha deles ceder ou não a elas. Óbvio que as mulheres que são apedrejadas e chicoteadas no oriente médio são oprimidas, mas esse não é o caso que estamos discutindo (não que não seja importante).

      "As mulheres, como toda a classe que por séculos foi (e é) submetida a mecanismos de dominação, atua dentro desses meios."
      -A mulher não foi por séculos submetida a mecanismos de dominação. A mulher ficava em casa enquanto o homem ia trabalhar porque desde os primórdios dos tempos quando o ser humano ainda vivia em cavernas e tribos, a divisão do trabalho foi essa. E não foi essa à toa ou por pura sorte. Obviamente com o passar do tempo, foi ficando menos e menos evidente a necessidade do homem ser o 'provedor' e da mulher ser a 'rainha do lar'. Mas o que você chama de mecanismos de dominação, por tempos foi visto como uma necessidade para a perpetuação da espécie.

      "Uma mulher não põe perfume pra se sentir bonita pra ela."
      -Os homens também usam perfume.

      "Uma mulher que não se depila e aparece na praia choca as pessoas."
      -Estou pra ver uma mulher aparecer na praia com a depilação apor fazer e ser vítima de xingamentos, como a dona Ananda apontou: "lésbica, porca, imunda, COMUNISTA (?)" e digo mais dona, se ela for realmente agredida (verbalmente ou fisicamente) a mesma pode e deve prestar queixa em uma delegacia com testemunhas. Uma pessoa que hostiliza uma mulher só porque ela tem pelos na perna (algo que nunca vi acontecer) provavelmente tem distúrbios psicológicos, isso não é uma regra da sociedade.
      Obs: Um homem obeso e peludo que vá a praia também vai chocar as pessoas. Ou até mesmo uma mulher obesa e depilada. Vou arriscar e dizer que até mesmo uma vítima de queimaduras extensas ou pessoa que possua algum tipo de deficiência pode ser olhado com estranheza. A questão é que o ser humano estranha o que é diferente do que ele costuma ver. Se ele costuma ver na praia mulheres depiladas, aí aparece uma mulher muito peluda, ele obviamente vai notar isso, vai saltar aos olhos. Mas ser diferente é isso, você se destaca, não necessariamente para o bem ou para o mal, errado é alguém hostilizar alguém diferente por isso. Outra coisa, me explica o motivo de isso não ser natural e nem ser desejo da natureza da mulher? Você está falando como porta-voz de todas as mulheres, sendo que em um plano individual, como você disse que eu fiz anteriormente.

      Ótimo fim de semana.

      Excluir
    2. Debize, só uma dica pra ti:

      Pára. Só pára, por favor. Tu tá te envergonhando absurdamente.

      As donas desse blog estão te fazendo um enorme FAVOR ao responder os teus comentários. Tu tem a impressão de que está argumentando ou debatendo ideias com pessoas do teu nível cultural. Na verdade, cara, tu é um peixe fora d'água que só debate a si mesmo, esperneando (sem entender) porque te tiraram do teu mundinho.

      Tu acusa o Luís de não ter argumentos, mas acha que os teus são válidos só porque faz uma lista de citações e "retruca" (ingenuamente) com ideias banais do senso comum mais raso. Ninguém precisa "tentar" te ridicularizar, tu tá fazendo isso muito bem sozinho.

      Mais uma vez: pára. Tu realmente não tem noção do que é "ser diferente", quanto mais do que significa ser oprimido. Nada se faz individualmente, ninguém decide sozinho o que é melhor pra si, opressão não envolve necessariamente absolvição ou condenação, e estado natural é totalmente diverso de convenção. Quando tu fala sobre qualquer um desses tópicos, não faz mais do que repetir discursos de publicidade barata e livros didáticos ultrapassados. Se tu realmente se importasse com essa questão, como o tamanho dos teus textos indica, tu leria muita, MUITA coisa antes de vir aqui perder o teu tempo e encher o saco de quem aguenta gente como todos os dias.

      Que teu fim-de-semana seja uma merda. Sem mais.

      Excluir
    3. Rafael,
      Em um ponto você tem razão. Ao vir aqui eu gastei o meu tempo, e o de vocês também, à toa. Mas fique tranquilo que não vou cometer este erro novamente.
      Ótimo domingo.

      Excluir
    4. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    5. É Debize, sua retórica foi brilhante mas, como diz o velho ditado "Não atire pérolas aos porcos (LITERALMENTE, kkkkk). A doutrinação é tão grande quem tem até esse imundos feministos (rafael)para comentar e pedir para "conhecer o mundo das oprimidas"... Como dizia Nietzsche : "A convicção é inimigo mais perigoso da verdade que a própria mentira". Estão cegas em seu eterno vitimismo... E nem todas as argumentações racionais irão fazer refletir sobre a lavagem cerebral que foram submetidas...Continuem suas vidas medíocres em um propósito falacioso e egoico.

      Excluir
    6. Alguém que acha a "retórica" do Debize brilhante (?!) merece só essa resposta aqui:

      http://26.media.tumblr.com/tumblr_l9du4k0kxx1qb30iko1_400.gif

      O mesmo vale pra alguém que mistura Nietzsche e ditados populares no mesmo "argumento". Deixa esse gif aberto e encara até se identificar, ok?

      Excluir
  65. A Igreja Católica não tem nenhuma visão antiquada sobre a menstruação, caramba, qual é o problema de vocês?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sou cristão e não costumo citar a Bíblia, mas uma busca pelo termo 'menstruação' revelou os seguintes trechos do Levítico (o tal livro de leis "amorosas" de Jeová):

      Levítico - 12:2
      quando uma mulher der à luz um menino será impura durante sete dias, como nos dias de sua menstruação.

      Levítico - 15:19
      "Quando uma mulher tiver fluxo de sangue que sai do corpo, a impureza da sua menstruação durará sete dias, e quem nela tocar ficará impuro até à tarde.

      Levítico - 15:20
      "Tudo sobre o que ela se deitar durante a sua menstruação ficará impuro, e tudo sobre o que ela se sentar ficará impuro.

      Mais aqui: http://bibliotecabiblica.blogspot.com.br/2009/07/estudo-biblico-menstruacao.html

      Vale essa visão ou a igreja católica não segue mais as palavras do "texto sagrado"?

      Excluir
  66. femimimimistas, voces são tão choronas, que só de graça passei um desodorante. 2 beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. mulheres machistas são tão burras que só de graça passei sangue menstrual no pescoço. 3 beijos feministas pra ti.

      mulher contra o feminismo é contra si mesma.

      Excluir
  67. Li o texto e vi coisas interessantes é legal ter uma namorada que peida alto....pega nada, mas existem motivos para q o corpo do homem seja quente e o da mulher frio o do homem peludo e do a mulher liso. Acredito q isso faz com q os corpos se completem. Quanto a higiene mulher fica muito mais doente por causa disso, mas cada um cada um. E meu a igreja nem queima mais as pessoas e ai esse nojo do xico vem dos indígenas onde as moças nem saiam do lado do rio "naqueles dias

    ResponderExcluir
  68. gostaria de saber onde encontro esse filme com legendas em portugues ou ingles. ate dublado vai.

    ResponderExcluir
  69. Respostas
    1. Adorei o texto e adorei os comentários das nossas do blog.
      Vou passar mais por aqui. Beijos feministas!

      Excluir
  70. eu adoro pensar me relacionando com uma garota que esteja mal cheirosa , só não curto muito em ter relação com sangue e catarro mas , cuspe (vulgo saliva) , axilas e partes intimas mal cheirosas sim :3 . Adorei o texto porque isso me instigou mais , beijos pra tu!

    ResponderExcluir
  71. Texto incrível! Uma verdade atrás da outra, que a maioria (inclusive muitas mulheres, o que é uma pena) teimam em não enxergar e admitir. Aliás, o blog inteiro tá incrível, parabéns!

    ResponderExcluir
  72. Gostei, quero ver o filme também kkkk... Já havia visto o trailer

    ResponderExcluir
  73. O texto está ótimo, concordei com ele. Mas só um detalhe, a sociedade católica não vê a mestruação como algo nojento. Não sei se foi um crítica à igreja de graça ou se é falta de informação. Pois foi desnecessário e uma calúnia posta de forma tosca. [2]

    ResponderExcluir